BOLA DA COPA DE 2006

BOLA DAS COPAS – #18
NOME OFICIAL: Teamgeist
MARCA DO FABRICANTE: Adidas
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 2006 REALIZADA NA ALEMANHA 🇩🇪
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 2006. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 38, 50, 58, 62, 66, 70, 74, 78, 82, 86, 90, 94, 98 e 2002) #bolascdf
.
.
Chegamos ao mundo moderno. A bola oficial da Copa do Mundo de 2006 foi chamada pela Adidas de Teamgeist. A Copa daquele ano foi sediada na Alemanha e teve a Itália chegando ao tetracampeonato, depois de um duro e conturbado confronto contra os franceses na final. Como a palavra “Teamgeist” significa “espírito de time” e não pôde ser patenteada, a Adidas acabou colocando um sinal de “+” à frente da palavra. Como vocês estão acompanhando nessa serie, desde o mundial de 1979 a Adidas vinha produzindo as bolas oficiais, só que dessa vez mais do que nunca ela não podia fazer feio, já que essa edição seria disputado em seu país de origem. Essa nova bola se diferenciava da bolas anteriores por ter apenas 14 paíneis curvos, ao invés de 32 como as bolas antigas lá da década de 70. Outra diferença importante dessa bola, é que esses painéis foram fundidos uns nos outros ao invés de costurados como no passado. Dizem que essa bola é mais “redonda” que todas as outras bolas utilizadas em mundiais anteriormente, porém isso nunca foi de fato provado. Outro mito criado em cima da Teamgeist, é que independente do ponto em que a pessoa chutar a bola, seu comportamento será o mesmo.
A bola é praticamente resistente à chuva e não fica mais pesada quando tem bastante água em campo. Apesar de um dos garotos propaganda dessa bola ter sido Beckham, isso não impediu com que grandes jogadores criticassem a pelota. Jogadores como o brasileiro Roberto Carlos e o inglês Paul Robinson,  estavam entre os críticos da bola do mundial de 2006, afirmando que ela conseguia ser mais leve que a de 2002 e que ela mudava de comportamento quando estava molhada. .
.
#worldcupball #2006ball #soccerballs#2006worldcupball #german#teamgeist #worldcupgermany

BOLA DA COPA 2002

BOLA DAS COPAS – #17
NOME OFICIAL: Fevernov
MARCA DO FABRICANTE: Adidas
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 2002 REALIZADA NA CORÉIA DO SUL🇰🇷 E JAPÃO 🇯🇵
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 2002. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 38, 50, 58, 62, 66, 70, 74, 78, 82, 86, 90, 94 e 98) #bolascdf
.
.
A bola da Copa de 2002 é sem dúvida uma das mais marcantes dentre todas as bolas já utilizadas nos mundiais. Seu design consiste em desenhos de triângulos com bordas na cor dourada e coberto por pontas vermelhas em formato de chama. No geral a bola se assemelha a um Shuriken, que é uma arma de arremesso de origem japonesa. O nome oficial da bola é Fevernova e ela foi utilizada na primeira Copa do Mundo realizada em conjunto por duas nações. Quando essa bola foi anunciada pela Adidas causou grande alvoroço pelo mundo inteiro, uma vez que possuía o maior avanço tecnológico desde a primeira bola Tango (1978). Uma das novidades mais importantes foi a inserção de uma fina camada de espuma que dava à bola características de desempenho nunca vistas antes. As três camadas de malha faziam com que a bola levantasse voo mais facilmente e ao mesmo tempo fazia com que sua trajetória sofresse alterações ao longo do percurso. Eu lembro que os jogadores que participaram daquele mundial constantemente elogiavam a Fevernova, enquanto os goleiros obviamente reclamavam da dificuldade em prever a trajetória da bola e consequentemente da dificuldade em realizar as defesas. Haviam jogadores, inclusive renomados que reclamavam que a leveza da bola era exagerada, porém foi exatamente por esse conjunto todo que diversos golaços, verdadeiras pinturas, foram marcados durante aquele mundial. A bola foi um sucesso absurdo de vendas, principalmente na Ásia, mesmo com seu preço sendo bem mais alto que o do restante das bolas. Foi com essa bola que a nossa seleção foi campeã do mundo pela última vez. Uma bola inovadora, colorida e super-leve que entrou para a história. .
.
#worldcupball #2002ball #soccerballs#2002worldcupball #koreajapan#fevernov

BOLA COPA DO MUNDO DE 1994

BOLA DAS COPAS – #16
NOME OFICIAL: Questra
MARCA DO FABRICANTE: Adidas
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1994 REALIZADA NOS ESTADOS UNIDOS 🇺🇸
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1994. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 38, 50, 58, 62, 66, 70, 74, 78, 82, 86, 90 e 98) #bolascdf
.
.
O nome “Questra” vem de uma palavra antiga que significa ” a jornada pelas estrelas” e foi adotado pela Adidas para ser o nome de uma família de bolas lançadas durante a metade da década de 90. A primeira bola a ser lançada com esse nome, foi exatamente a bola produzida para a Copa do Mundo de 1994 (que seria realizada nos Estados Unidos). Assim como a Adidas havia feito com a Azteca e a Etrusco, a ideia de um tema para a bola foi mantido na Questra. O tema dessa bola foi o espaço e não apenas porque o nome da bola tinha relação com essa temática, mas também porque o ano de 1994 marcava o aniversário de 25 anos do sucesso da missão Apollo 11 (que é um dos momentos mais importantes da história americana). Com o consumismo americano a pleno vapor, a bola foi um tremendo sucesso e em 1996 a Adidas já estava lançando outras duas versões da Questra: uma para a Eurocopa e outra para as Olimpíadas, com destaque para o fato de ambas serem coloridas. No processo de desenvolvimento dessa bola, o objetivo da empresa alemã era diminuir seu peso e ao mesmo tempo torná-la mais responsiva. Se utilizando de cinco materiais diferentes, a bola se tornou mais resistente à água e também ganhava muito mais aceleração nos chutes. Ficou claro que a adaptação dos atletas foi excelente, já que nas primeiras partidas da Copa vários golaços e grandes jogadas ocorreram. Obviamente os goleiros reclamaram de uma certa imprevisibilidade em calcular a direção da bola, principalmente em campos que estavam úmidos. A bola foi desenvolvida na França e até hoje é um item obrigatório para os grandes colecionadores de bolas pelo mundo. Foi com essa bola que o Brasil foi tetracampeão mundial. .
.
#worldcupball #1994ball #soccerballs#1994worldcupball #eua

BOLA DA COPA 1990

BOLA DAS COPAS – #15
NOME OFICIAL: Etrusco Unico
MARCA DO FABRICANTE: Adidas
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1990 REALIZADA NA ITÁLIA 🇮🇹
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1990. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 38, 50, 58, 62, 66, 70, 74, 78, 82, 86 e 98) #bolascdf
.
.
Chegamos na Copa de 1990, realizada na Itália e que teve a Alemanha conquistando seu tricampeonato. Mais uma vez, a bola oficial do mundial foi produzida pela Adidas e mais uma vez ela ganhou um nome e inspiração de design vinculado ao país sede. Essa bola era a continuação da evolução dos modelos Tango, mas na verdade o que se constata, é que entre 1978 e 1998, poucas mudanças significativas realmente aconteceram nas bolas oficiais dos mundiais. Além da Copa de 1990, a Etrusco também foi utilizada na Eurocopa de 1992 realizada na Suécia e nos Jogos Olímpicos de 1992, que teve a cidade de Barcelona como sede. Tanto o nome dela, quanto seu desenho, foi inspirado na história antiga da Itália e na fina arte produzida pelo povo etrusco. Para quem não sabe, os etruscos viveram na península itálica e tinham seu próprio idioma, além de usarem alfabeto semelhante ao dos gregos. A bola contém 20 tríades no total e em cada um deles é possível notar a imagem de três cabeças de leão etrusca. A Adidas na época estava fazendo tanto sucesso com as suas bolas, que resolveu ser mais ousada e lançou um modelo de chuteira com o tema utilizado em sua bola para o mundial de 1990. A chuteira continha um inscrito dizendo “Etrusco Unico”, além dos tríades e as cabeças de leão. Essa foi a primeira bola a conter uma camada interna preta de espuma de poliuretano. Por ter sido utilizada em diversas competições, além da Copa do Mundo de 1990, essa bola virou uma febre mundial e foi uma das mais vendidas da história. Era possível encontrar esse modelo em praticamente qualquer país do mundo. Pena que ela não deu tanta sorte para a nossa seleção. Essa é uma das minhas bolas preferidas, realmente muito linda.
#worldcupball #1990ball #soccerballs#1990worldcupball #italy

BOLA COPA 1986

BOLA DAS COPAS – #14
NOME OFICIAL: Azteca
MARCA DO FABRICANTE: Adidas
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1986 REALIZADA NO MÉXICO 🇲🇽
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1950. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 38, 50, 58, 62, 66, 70, 74, 78, 82 e 98) #bolascdf
.
.
Depois de apresentar a bola da Copa de 1950, vamos avançar 36 anos e ir para o mundial de 1986, realizado no México. A bola chamada de Azteca não é uma das mais memoráveis e bonitas na história, mas é sem dúvida uma bola de grande importância devido a suas inovações. Essa Copa do Mundo viu a introdução da primeira bola de poliuretano, um material que era resistente a chuva. Essa é portanto a primeira bola sintética, com ótima qualidade em pisos duros e molhados. Essa também é a primeira bola a ter seus desenhos inspirados no país que sediava a competição mais importante do futebol. Esses desenhos foram inspirados na arquitetura, murais e pinturas da civilização Azteca. A Adidas havia reutilizado a Tango (bola feita para a Copa da Argentina) na Copa da Espanha em 1982 e para o México resolveu manter essa receita, que covenhamos estava dando super certo. Acho que a Adidas foi muito feliz com essa ideia de usar uma característica do país sede na bola do mundial, tanto que a receptividade quanto a isso foi excelente e a marca alemã começou a fazer isso com todas as bolas das Copas a partir da Azteca. Só o fato dessa ter sido a primeira bola sintética da história da Copas, já a coloca como uma das mais importantes dentre todas as bolas para qualquer colecionador. Assim como já havia ocorrido com a Tango e a Tango Espanha, o número de bolas Azteca vendidas pelo mundo após seu lançamento também foi bem alto. A maior vantagem das bolas sintéticas em comparação com as bolas de couro, eram sua capacidade de voltar ao seu formato original logo após serem chutadas. Nas questões de resistência a água e durabilidade, a bola sintética também era muito mais vantajosa que as não sintéticas. .
.
#worldcupball #1986ball #soccerballs#1986worldcupball #mexico

Super T 1950

BOLA DAS COPAS – #13
NOME OFICIAL: Duplo T
MARCA DO FABRICANTE: Superball
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1950 REALIZADA NO BRASIL🇧🇷
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1950. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 38, 58, 62, 66, 70, 74, 78, 82 e 98) #bolascdf
.
.
Depois de contar sobre a história das bolas utilizadas nos mundiais da década de 70 e começo da década de 80, vamos voltar no tempo e relembrar da bola utilizada na primeira Copa sediada em nosso país. Depois da Copa de 1938 houve um período de doze anos sem o principal torneio do mundo e tudo graças a segunda guerra mundial. Um avanço considerável tanto em tecnologia, quanto na própria produção das bolas, ocorreu durante esse período de inatividade do esporte. Durante a década de 30, uma grande inovação havia sido feita nas bolas e ela esperou bons vinte anos para ser aceita em uma competição da FIFA. A bola que já estava sendo utilizada no campeonato argentino a um bom tempo se chamava “Superval” e quando a fabricante resolveu abrir uma fábrica aqui no Brasil, passou a se chamar “Superball”. E o que era essa grande inovação que demorou para ser implementada pela FIFA? Era a eliminação dos famosos “laços” e consequentemente, da necessidade de especialistas que eram contratados para inflar as bolas. A Superball tinha uma esfera feita de couro e podia ser inflada com uma “bomba” e agulha, através de uma pequena válvula (similar às utilizadas hoje em dia). O modelo da Superball utilizada para a Copa de 1950, recebeu o nome de “Duplo T” e fez bastante sucesso, principalmente porque com esse novo sistema ela acabou se tornando a primeira bola a ser utilizada durante toda a extensão do torneio. Infelizmente não é uma bola que traz boas recordações para o povo brasileiro, já que foi com ela que acabamos perdendo a grande final para o Uruguai. De qualquer forma, é uma bola de grande importância na questão do avanço tecnológico dentro das Copas do Mundo. A bola existia em versão de couro mais claro e mais escuro.
.
.
#worldcupball #1950ball#1950worldcupball

Tango España 1982

BOLA DAS COPAS – #12
NOME OFICIAL: Tango España
MARCA DO FABRICANTE: Adidas
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1982
REALIZADA NA ESPANHA 🇪🇸
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1982. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 38, 58, 62, 66, 70, 74, 78 e 98) #bolascdf
.
.
Essa bola é praticamente idêntica à utilizada no mundial de 1978, principalmente na questão visual. Isso porque, percebendo o sucesso que a Tango havia atingido, a Adidas resolveu manter a fórmula vencedora e não quis fazer nenhuma mudança radical. Apesar desse fato, existe uma importante diferença técnica entre elas: essa é a primeira bola produzida com uma mistura de couro (real) e material sintético. Mais uma vez a bola era composta por 32 painéis, com o mesmo design em branco e preto da Tango utilizada no mundial da Argentina(1978). Lembrando que o design “Tango” era composto por triângulos curvados, que eram impressos em cada um dos hexágonos, formando circunferências ao longo dos 12 painéis pentagulares que dão a ilusão visual de possuir 12 círculos idênticos. O artilheiro dessa Copa foi Paolo Rossi com seis gols marcados, incluíndo um hat-trick contra o Brasil na segunda partida da fase de grupos e um na grande final (a Itália venceu a Copa). Na camada externa existia uma vedação de borracha que impedia que a água adentrasse no interior dela, ou seja, essa também foi uma inovação da Tango España. No entanto, o uso constante da bola iam desgastando essa borracha conforme os passes/chutes iam ocorrendo e muitas vezes ela precisou ser substituída mais de uma vez durante a mesma partida. Essa é considerada uma das últimas bolas de couro genuíno a ser utilizada em um mundial e é na minha opinião um dos três modelos de bolas de futebol mais bonitas já produzidas até hoje. A próxima bola seria inteira feita de material sintético. Os números de vendas dessa bola pelo mundo também foram muito elevados para época e até hoje ela é vendida em forma de réplicas por diversos países mundo afora. #tango #tangoespana#tangoball #worldcupball #1982worldcup

Tango 1978

BOLA DAS COPAS – #11
NOME OFICIAL: Tango
MARCA DO FABRICANTE: Adidas
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1978
REALIZADA NA ARGENTINA 🇦🇷
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1978. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 38, 58, 62, 66, 70, 74,e 98) #bolascdf
.
.
Nessa altura do campeonato a Adidas já estava seguindo um padrão de nomear as bolas oficiais das Copas, com nomes apropriados de acordo com o país sede do evento. Entao “Tango” (mais tradicional e conhecida dança argentina) foi o nome escolhido para o mundial de 1978 a ser realizado na Argentina. Essa foi a primeira bola a apresentar os triângulos curvados interconectados, conhecidos como “triads”, que eram a marca padrão da Adidas na época. Dizem que a inspiração para essa bola foi “a paixão, emoção e elegância do país latino-americano”. Algumas variações no design dessa bola ocorreram para eventos como a Eurocopa e as Olimpíadas de Verão. A Tango Durlast de 1978 consistia de 20 painéis hexagonais idênticos contendo os “triads”, que criavam a impressão de 12 círculos ao redor dos pentágonos. Assim como as bolas anteriores, a Tango era feita com couro genuíno e ainda era extremamente resistente à água. Inicialmente a bola foi introduzida como Tango Durlast, mas outros modelos foram produzidos depois como “Tango River Plate”, além de réplicas com o nome de “Tango Rosario”. O interessante aqui, é que essa bola acabou eventualmente inspirando o desenho das próximas cinco bolas utilizadas em mundiais. Outra curiosidade, é que na época a Tango se tornou a mais cara do mundo, chegando a custa 50 libras. Mesmo custando muito, a bola foi um sucesso mundial, virou a bola mais conhecida e comentada do planeta, além de ter gerado lucro gigantesco para a Adidas. Parte da nostalgia que vem quando nos lembramos dessa pelota, vem do fato dela ser considerada o “início do fim” na era das bolas produzidas com o couro. Sem dúvida que essa é uma das bolas mais importantes na história do futebol. Uma bola que todo grande colecionador precisa possuir.

Bola Copa 1938 – Allen

BOLA DAS COPAS – #10
NOME OFICIAL: Allen Oficial
MARCA DO FABRICANTE: Allen
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1938 REALIZADA NA FRANÇA 🇫🇷
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1938. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 58, 62, 66, 70, 74 e 98) #bolascdf
.
.
Em 1938 a terceira edição da Copa do Mundo estava para começar. Naquela Copa a Itália foi campeã e a Hungria ficou com o vice-campeonato. Dessa vez a competição foi realizada na França e a assim como no mundial de 1934, essa bola mantinha a composição feita em cima de treze gomos. A bola tinha uma cor mais forte que suas antecessoras, principalmente porque os fornecedores utilizavam um couro local, que era diferente e mais escuro. A fabricante dessa bola era a Allen, empresa sediada em Paris, que batizou a bola com o seu próprio nome. Essa foi a primeira empresa da história a receber autorização de estampar a sua marca na bola de uma Copa do Mundo. Essa bola era praticamente igual à italiana Federale 102 (que eu já postei aqui). As costuras de algodão foram mantidas, assim como o número de painéis (13) e a diferença ficou para as bordas dos gomos, que eram bem mais redondas que as presentes na Federale 102. Na verdade, as bordas mais redondas se mostrariam forte tendência após a segunda guerra mundial. Também não foi dessa vez que a bola oficial foi a única a ser utilizada na competição, ou seja, assim como aconteceu nas edições anteriores, outras duas bolas de 12 e 18 painéis também foram observadas em fotos daquela Copa. O principal motivo para a Allen não ter sido a única bola a ser utilizada na Copa de 38, ainda era aquele velho problema de inflamento. Conforme a partida ia decorrendo, a bola aos poucos perdia pressão e começava a esvaziar. Só depois, com a inserção das válvulas é que esse problema acabou sendo solucionado. A Allen ainda é considerada por muitos especialistas, uma das bolas mais clássicas e mais bonitas da história das Copas. Um fato curioso, é que em 1938 os jogadores ainda se machucavam ao cabecear a bola por conta de seu peso e costura.

Bola Copa 1974

BOLA DAS COPAS – #9
NOME OFICIAL: Telstar Durlast
MARCA DO FABRICANTE: Adidas
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1974 REALIZADA NA ALEMANHA OCIDENTAL 🇩🇪
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1974. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 58, 62, 66, 70 e 98) #bolascdf
.
.
A Copa de 1974 chegava na Alemanha Ocidental e mais uma vez a Adidas estava por trás como fornecedora da bola. Aliás a Copa seria na casa da Adidas, então eles precisavam de uma bola mais moderna e inovadora que a utilizada na Copa anterior. No final, foi um trabalho tão bem feito que ela também foi utilizada na Eurocopa de 1976. Basicamente, o nome Telstar permaneceu o mesmo, assim como seu desenho, que era praticamente igual ao da bola utilizada pela empresa alemã lançada para a Copa de 1970. O que mudou foi a adição do termo “Durlast” no nome dela. Durlast se referia à palavra “durabilidade”, já que a bola era muito mais resistente, inclusive quando em contato com a água. Durante o mundial disputado na Alemanha, uma versão dessa bola toda branca também foi utilizada em 8 partidas, incluindo a semifinal entre Brasil e Países Baixos, e a decisão do 3° lugar entre Brasil e Polônia. O nome dessa bola toda branca ficou conhecido como: Adidas Chile Durlast. Lembrando que o nome era uma referência à bola toda branca utilizada da Copa de 1962 no Chile. Quando a Copa acabou, outros modelos foram lançados: destaque para a “Super Lux”, que era feita com gomos hexagonais laranjas e gomos pentagonais pretos, o que ajudava na visibilidade da bola em jogos na neve. No Mundial da Alemanha, além da bola oficial ter ganho um revestimento a tornando mais resistente, ela também ficou mais brilhante e menos permeável à água em relação à versão anterior. A Telstar Durlast manteve sua estrutura de 32 gomos de couro. Essa foi uma das primeiras bolas de Copa que carregaram nomes e logos impressos nos gomos. Essa bola explodiu no mercado e foi um recorde de vendas pelo mundo na época. Hoje em dia essa bola original e em ótimo estado de conservação vale uma nota preta.