Super T 1950

BOLA DAS COPAS – #13
NOME OFICIAL: Duplo T
MARCA DO FABRICANTE: Superball
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1950 REALIZADA NO BRASIL🇧🇷
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1950. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 38, 58, 62, 66, 70, 74, 78, 82 e 98) #bolascdf
.
.
Depois de contar sobre a história das bolas utilizadas nos mundiais da década de 70 e começo da década de 80, vamos voltar no tempo e relembrar da bola utilizada na primeira Copa sediada em nosso país. Depois da Copa de 1938 houve um período de doze anos sem o principal torneio do mundo e tudo graças a segunda guerra mundial. Um avanço considerável tanto em tecnologia, quanto na própria produção das bolas, ocorreu durante esse período de inatividade do esporte. Durante a década de 30, uma grande inovação havia sido feita nas bolas e ela esperou bons vinte anos para ser aceita em uma competição da FIFA. A bola que já estava sendo utilizada no campeonato argentino a um bom tempo se chamava “Superval” e quando a fabricante resolveu abrir uma fábrica aqui no Brasil, passou a se chamar “Superball”. E o que era essa grande inovação que demorou para ser implementada pela FIFA? Era a eliminação dos famosos “laços” e consequentemente, da necessidade de especialistas que eram contratados para inflar as bolas. A Superball tinha uma esfera feita de couro e podia ser inflada com uma “bomba” e agulha, através de uma pequena válvula (similar às utilizadas hoje em dia). O modelo da Superball utilizada para a Copa de 1950, recebeu o nome de “Duplo T” e fez bastante sucesso, principalmente porque com esse novo sistema ela acabou se tornando a primeira bola a ser utilizada durante toda a extensão do torneio. Infelizmente não é uma bola que traz boas recordações para o povo brasileiro, já que foi com ela que acabamos perdendo a grande final para o Uruguai. De qualquer forma, é uma bola de grande importância na questão do avanço tecnológico dentro das Copas do Mundo. A bola existia em versão de couro mais claro e mais escuro.
.
.
#worldcupball #1950ball#1950worldcupball

Tango España 1982

BOLA DAS COPAS – #12
NOME OFICIAL: Tango España
MARCA DO FABRICANTE: Adidas
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1982
REALIZADA NA ESPANHA 🇪🇸
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1982. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 38, 58, 62, 66, 70, 74, 78 e 98) #bolascdf
.
.
Essa bola é praticamente idêntica à utilizada no mundial de 1978, principalmente na questão visual. Isso porque, percebendo o sucesso que a Tango havia atingido, a Adidas resolveu manter a fórmula vencedora e não quis fazer nenhuma mudança radical. Apesar desse fato, existe uma importante diferença técnica entre elas: essa é a primeira bola produzida com uma mistura de couro (real) e material sintético. Mais uma vez a bola era composta por 32 painéis, com o mesmo design em branco e preto da Tango utilizada no mundial da Argentina(1978). Lembrando que o design “Tango” era composto por triângulos curvados, que eram impressos em cada um dos hexágonos, formando circunferências ao longo dos 12 painéis pentagulares que dão a ilusão visual de possuir 12 círculos idênticos. O artilheiro dessa Copa foi Paolo Rossi com seis gols marcados, incluíndo um hat-trick contra o Brasil na segunda partida da fase de grupos e um na grande final (a Itália venceu a Copa). Na camada externa existia uma vedação de borracha que impedia que a água adentrasse no interior dela, ou seja, essa também foi uma inovação da Tango España. No entanto, o uso constante da bola iam desgastando essa borracha conforme os passes/chutes iam ocorrendo e muitas vezes ela precisou ser substituída mais de uma vez durante a mesma partida. Essa é considerada uma das últimas bolas de couro genuíno a ser utilizada em um mundial e é na minha opinião um dos três modelos de bolas de futebol mais bonitas já produzidas até hoje. A próxima bola seria inteira feita de material sintético. Os números de vendas dessa bola pelo mundo também foram muito elevados para época e até hoje ela é vendida em forma de réplicas por diversos países mundo afora. #tango #tangoespana#tangoball #worldcupball #1982worldcup

Tango 1978

BOLA DAS COPAS – #11
NOME OFICIAL: Tango
MARCA DO FABRICANTE: Adidas
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1978
REALIZADA NA ARGENTINA 🇦🇷
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1978. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 38, 58, 62, 66, 70, 74,e 98) #bolascdf
.
.
Nessa altura do campeonato a Adidas já estava seguindo um padrão de nomear as bolas oficiais das Copas, com nomes apropriados de acordo com o país sede do evento. Entao “Tango” (mais tradicional e conhecida dança argentina) foi o nome escolhido para o mundial de 1978 a ser realizado na Argentina. Essa foi a primeira bola a apresentar os triângulos curvados interconectados, conhecidos como “triads”, que eram a marca padrão da Adidas na época. Dizem que a inspiração para essa bola foi “a paixão, emoção e elegância do país latino-americano”. Algumas variações no design dessa bola ocorreram para eventos como a Eurocopa e as Olimpíadas de Verão. A Tango Durlast de 1978 consistia de 20 painéis hexagonais idênticos contendo os “triads”, que criavam a impressão de 12 círculos ao redor dos pentágonos. Assim como as bolas anteriores, a Tango era feita com couro genuíno e ainda era extremamente resistente à água. Inicialmente a bola foi introduzida como Tango Durlast, mas outros modelos foram produzidos depois como “Tango River Plate”, além de réplicas com o nome de “Tango Rosario”. O interessante aqui, é que essa bola acabou eventualmente inspirando o desenho das próximas cinco bolas utilizadas em mundiais. Outra curiosidade, é que na época a Tango se tornou a mais cara do mundo, chegando a custa 50 libras. Mesmo custando muito, a bola foi um sucesso mundial, virou a bola mais conhecida e comentada do planeta, além de ter gerado lucro gigantesco para a Adidas. Parte da nostalgia que vem quando nos lembramos dessa pelota, vem do fato dela ser considerada o “início do fim” na era das bolas produzidas com o couro. Sem dúvida que essa é uma das bolas mais importantes na história do futebol. Uma bola que todo grande colecionador precisa possuir.

Bola Copa 1938 – Allen

BOLA DAS COPAS – #10
NOME OFICIAL: Allen Oficial
MARCA DO FABRICANTE: Allen
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1938 REALIZADA NA FRANÇA 🇫🇷
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1938. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 58, 62, 66, 70, 74 e 98) #bolascdf
.
.
Em 1938 a terceira edição da Copa do Mundo estava para começar. Naquela Copa a Itália foi campeã e a Hungria ficou com o vice-campeonato. Dessa vez a competição foi realizada na França e a assim como no mundial de 1934, essa bola mantinha a composição feita em cima de treze gomos. A bola tinha uma cor mais forte que suas antecessoras, principalmente porque os fornecedores utilizavam um couro local, que era diferente e mais escuro. A fabricante dessa bola era a Allen, empresa sediada em Paris, que batizou a bola com o seu próprio nome. Essa foi a primeira empresa da história a receber autorização de estampar a sua marca na bola de uma Copa do Mundo. Essa bola era praticamente igual à italiana Federale 102 (que eu já postei aqui). As costuras de algodão foram mantidas, assim como o número de painéis (13) e a diferença ficou para as bordas dos gomos, que eram bem mais redondas que as presentes na Federale 102. Na verdade, as bordas mais redondas se mostrariam forte tendência após a segunda guerra mundial. Também não foi dessa vez que a bola oficial foi a única a ser utilizada na competição, ou seja, assim como aconteceu nas edições anteriores, outras duas bolas de 12 e 18 painéis também foram observadas em fotos daquela Copa. O principal motivo para a Allen não ter sido a única bola a ser utilizada na Copa de 38, ainda era aquele velho problema de inflamento. Conforme a partida ia decorrendo, a bola aos poucos perdia pressão e começava a esvaziar. Só depois, com a inserção das válvulas é que esse problema acabou sendo solucionado. A Allen ainda é considerada por muitos especialistas, uma das bolas mais clássicas e mais bonitas da história das Copas. Um fato curioso, é que em 1938 os jogadores ainda se machucavam ao cabecear a bola por conta de seu peso e costura.

Bola Copa 1974

BOLA DAS COPAS – #9
NOME OFICIAL: Telstar Durlast
MARCA DO FABRICANTE: Adidas
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1974 REALIZADA NA ALEMANHA OCIDENTAL 🇩🇪
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1974. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 34, 58, 62, 66, 70 e 98) #bolascdf
.
.
A Copa de 1974 chegava na Alemanha Ocidental e mais uma vez a Adidas estava por trás como fornecedora da bola. Aliás a Copa seria na casa da Adidas, então eles precisavam de uma bola mais moderna e inovadora que a utilizada na Copa anterior. No final, foi um trabalho tão bem feito que ela também foi utilizada na Eurocopa de 1976. Basicamente, o nome Telstar permaneceu o mesmo, assim como seu desenho, que era praticamente igual ao da bola utilizada pela empresa alemã lançada para a Copa de 1970. O que mudou foi a adição do termo “Durlast” no nome dela. Durlast se referia à palavra “durabilidade”, já que a bola era muito mais resistente, inclusive quando em contato com a água. Durante o mundial disputado na Alemanha, uma versão dessa bola toda branca também foi utilizada em 8 partidas, incluindo a semifinal entre Brasil e Países Baixos, e a decisão do 3° lugar entre Brasil e Polônia. O nome dessa bola toda branca ficou conhecido como: Adidas Chile Durlast. Lembrando que o nome era uma referência à bola toda branca utilizada da Copa de 1962 no Chile. Quando a Copa acabou, outros modelos foram lançados: destaque para a “Super Lux”, que era feita com gomos hexagonais laranjas e gomos pentagonais pretos, o que ajudava na visibilidade da bola em jogos na neve. No Mundial da Alemanha, além da bola oficial ter ganho um revestimento a tornando mais resistente, ela também ficou mais brilhante e menos permeável à água em relação à versão anterior. A Telstar Durlast manteve sua estrutura de 32 gomos de couro. Essa foi uma das primeiras bolas de Copa que carregaram nomes e logos impressos nos gomos. Essa bola explodiu no mercado e foi um recorde de vendas pelo mundo na época. Hoje em dia essa bola original e em ótimo estado de conservação vale uma nota preta.

Federale 102

BOLA DAS COPAS – #8
NOME OFICIAL: Federale 102
MARCA DO FABRICANTE: Governo de Mussolini
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1934 REALIZADA NA ITÁLIA 🇮🇹
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1934. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 58, 62, 66, 70 e 98). #bolascdf
.
.
Em 1934 a segunda Copa do Mundo foi realizada na Itália e apesar dos favoritos serem o Uruguai (vencedor da primeira edição), o título acabou ficando na mão dos anfitriões. Naquela época o país europeu estava sob o domínio do ditador Benito Mussolini, portanto foi o seu governo quem se responsabilizou pela fabricação da bola que seria utilizada no torneio. Na verdade, movidos pelo movimento fascista, Mussolini não aceitava que a Copa realizada em sua nação tivesse outra bola que não uma fabricada na própria Itália. A bola ganhou o nome de Federale 102, mas outras bolas provenientes da Inglaterra também foram utilizadas (em poucos jogos) durante o mundial de 34. Uma das inovações mais importantes que essa nova bola trazia em relação aquela utilizada em 1930, era a substituição dos laços de couro por laços de algodão. Isso significava na prática que a bola ficava mais leve e macia, além de machucar menos os jogadores que se aventuravam em colocar a cabeça nela. Como eu expliquei no post das bolas utilizadas na primeira Copa, naquela época os jogadores tinham que jogar com proteção na cabeça para não se machucarem. Infelizmente naquela época, por conta da natureza com que as bolas eram fabricadas, o controle de qualidade era extremamente difícil de ser realizado, principalmente porque elas eram feitas na mão, com a pessoa que estivesse inflando ela determinando suas dimensões. Na prática isso significava que os capitães dos dois times eram apresentados à algumas bolas antes da bola rolar e então decidiam qual preferiam. Como resultado disso, para bastante desagrado de Mussolini, a bola da final foi fabricada na Inglaterra, mas não foi um impeditivo para a Itália vencer sua primeira Copa. A bola tinha 13 painéis e tinha uma coloração mais próxima do marrom.

TELSTAR 1970

BOLA DAS COPAS – #7
NOME OFICIAL: Telstar
MARCA DO FABRICANTE: ADIDAS
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1970 REALIZADA NO MÉXICO 🇲🇽
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1970. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas que já foram postadas (mundiais de 30, 58, 62, 66 e 98). #bolascdf
.
.
Quem leu a história que eu postei sobre a bola da Copa de 1966, viu que aquele foi o último modelo a participar de um mundial que não era da Adidas. A partir da Copa de 1970, realizada no México, todas as bolas seriam sempre fornecidas pela Adidas em Copas da Fifa. Portanto, essa foi a primeira bola oficial da Copa do Mundo Fifa e marcou o início de uma nova geração, inclusive encerrando aqueles longos processos para a seleção de um fornecedor que vimos nos mundiais anteriores. O primeiro uso foi na Copa do Mundo de 1970, mas ela também foi empregada na Copa do Mundo de 1974. A diferença entre a bola dos dois mundiais, é que em 1974 a Telstar tinha uma versão mais moderna, chamada de Adidas Telstar Durlast. Essa foi a primeira bola a usar o formato de um icosaedro truncado, que era composto por 12 gomos pentagonais pretos e 20 gomos hexagonais brancos. Quem viu as postagens que já fiz sobre as outras bolas das Copas, já viu que antes dessa Copa as bolas eram mais escuras e tinham costuras com 12 ou 18 gomos em formatos de listras (similar a uma bola de vôlei). Essa seria a primeira Copa transmitida ao mundo inteiro pela TV e isso só era possível graças ao satélite Telstar (agora vocês já sabem o porque do nome). Só que com isso veio um problema: a maioria das televisões da época ainda era em preto-e-branco e a FIFA estava bem preocupada com isso. Era necessário apresentar uma bola oficial, uma bola que seria bem visível naquelas TVs da época. A empresa alemã Adidas criou então a Telstar, uma bola com gomos pintados em preto e branco, projetado principalmente para as transmissões dos jogos e para ser o mais visível possível em transmissões sem cor. Para quem não sabe, a bola da Copa do Mundo da Rússia foi inspirada nesse modelo. Considero essa a mais importante bola das Copas.

CHALLENGE 4-STAR 1966

BOLA DAS COPAS – #6
NOME OFICIAL: CHALLENGE 4-STAR
MARCA DO FABRICANTE: SLAZENGER
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1966, INGLATERRA 🏴󠁧󠁢󠁥󠁮󠁧󠁿
.
.
Chegamos agora ao ano de 1966. A Copa do Mundo foi disputada na Inglaterra e a bola daquele mundial foi selecionada pela segunda vez, assim como na Copa de 1958 (história que já postei na página, quem quiser ver só entrar em #bolascdf ) através de testes as escuras e votação. Foi a primeira e única vez que a seleção inglesa venceu o campeonato mundial. Os ingleses com certeza tem um carinho mais especial por essa pelota, do que todo o restante do mundo. Esta foi a primeira bola a servir em uma Copa do Mundo, fabricada por uma grande empresa: a Slazenger. A Federação de Futebol Inglesa organizou o evento para a escolha da bola, de tal modo que nenhum dos participantes tinham conhecimentos prévios sobre os 111 modelos que estariam na disputa. Quarenta e oito modelos não atenderam as especificações e após um longo período de análises e discussões, só haviam sobrado oito bolas na disputa. Das oito, duas foram eliminadas por não aguentarem o tranco e demonstrarem desgaste acelerado conforme seu uso no longo prazo. As finalistas não possuíam marcas, elas eram numeradas e depois examinadas pelos especialistas pela circunferência, perda de pressão, peso, repique e assim por diante. No final, a vencedora foi essa bola da foto produzida pela Slazenger, empresa que era famosa na fabricação de raquetes de tênis. A bola era bem similar a “Top Star”, porém a diferença era que esta tinha 25 painéis, enquanto a Top tinha 24. O processo de testes e desenvolvimento para o torneio de 1966, foi disparado o mais avançado na história das Copas até então. Mais de 400 bolas, em 3 cores diferentes, foram requisitadas para a disputa da Copa do Mundo de 1966. Cada seleção participante recebeu um pacote de bolas Challenge 4-Star, com seis meses de antecedência para já ir se acostumando. Esta bola foi a última antes da “Era Adidas”. A empresa alemã começou a fabricar as bolas dos mundiais a partir de 1970 e não parou mais, sendo a fornecedora oficial das bolas até hoje. A característica mais marcante dessa bola é sua cor: laranja.

MR CRACK 1962

BOLA DAS COPAS – #5
NOME OFICIAL: MR. CRACK
MARCA DO FABRICANTE: CUSTODIO ZAMORA EM PARCERIA COM A ADIDAS
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1962,
CHILE 🇨🇱
.
.
Vamos agora, contar um pouco mais sobre a bola utilizada na Copa de 1962. Para quem ainda não acompanha esta série, siga a hashtag para que possam ver a história sobre as bolas das Copas de 30, 58 e 98: #bolascdf .
.
Esta foi a primeira bola desenvolvida com a “ajuda” da Adidas para uma Copa do Mundo e ela foi, adivinhem só? Um fracasso. Isso mesmo, a bola que teve participação da Adidas em parceria com uma empresa chilena, não deu muito certo e foi alvo de uma grande quantidade de críticas. A bola era tão ruim, que em alguns jogos, outras bolas foram utilizadas. Este modelo, possuía dezoito gomos divididos de maneira irregular, ou seja, existiam painéis em formato hexagonal, outros retangulares e por aí vai, além deles serem selados uns nos outros manualmente. Exatamente pela bola ser feita por esses painéis irregulares, seu visual acabou ficando bem diferente e estranho, muito fora da normalidade que a grande maioria estava acostumada. A bola era inteira revistida em couro e não existem registros sobre seu peso, mas ela não era nada leve e isso eu garanto. A Adidas dizia que a bola era feita para aguentar o clima da América do Sul, já que a Copa de 62 seria disputada no Chile. O fato é que várias seleções, principalmente as européias, odiaram o modelo. A maioria das críticas, vinham pelo fato da bola absorver muita água da chuva e ficar extremamente pesada nestas ocasiões, praticamente impossibilitando seu uso. Outra crítica se dava por conta do Sol, que quando batia na bola fazia ela desbotar e mudar de cor. A bola foi apelidada de “Mr Crack” e seu nome estampado na parte externa da bola. Foi com esta bola que nossa seleção ganhou seu segundo título mundial. Por conta do descontentamento de diversas seleções, mais de 100 bolas “Top Star”, modelo utilizado na Copa de 58, foram trazidas da Europa e utilizadas quando a “Crack” não dava mais conta do recado. Apesar de ter sido um fracasso, esta bola apresentou uma inovação que seria utilizada por vários modelos a seguir: a introdução da válvula de latex.

TOP STAR

BOLA DAS COPAS – #4
NOME OFICIAL: TOP STAR
MARCA: Sydsvenska Läder- och Remfabriken
FABRICAÇÃO: Suécia 🇸🇪
COMPETIÇÃO: COPA DO MUNDO DE 1958
SUÉCIA 🇸🇪
HISTÓRIA: Vamos agora, contar um pouco mais sobre a história de uma bola utilizada em mundiais. Lembrando, que está é a quarta bola a entrar em nosso acervo e que eu recomendo lerem sobre as outras três já postadas. Esta é a bola oficial, utilizada no mundial de 1958, sediado na Suécia. A bola, seria selecionada através de votação por representantes da FIFA, que para aquele mundial pela primeira vez, optaram por abrir a disputa de quem seria o fornecedor, para o mundo inteiro. O modelo número 55, de mais de 100 bolas (foram 102 modelos) feitas por empresas do mundo todo que concorriam, foi então determinado vencedor. O nome dado ao modelo, foi Top Star e ela foi fabricada por uma empresa de origem sueca, cujo nome é extremamente difícil de se escrever e pronunciar, sediada na cidade de Ängelholm. A bola, consistia em 24 painéis (primeira bola da história com esta quantidade de painéis) e foi apresentada com a opção de três cores diferentes: laranja, marrom (utilizada) e branca, todas sem marca estampada. Naquele mundial, cada seleção participante recebeu 30 unidades, afim de poderem se adaptar ao seu material e suas características. Uma das novidades deste modelo, permitia que a bola melhorasse sua perfomance em um campo molhado (mesmo sob forte chuva) e tudo isto, graças a um novo tipo de superfície a prova d’água. Na copa de 1962, esta bola foi novamente utilizada e portanto, ela é a primeira bola do mundo a ter sido utilizada em mais de um mundial. O Brasil, que venceu a Copa exatamente em cima da Suécia, optou por comprar mais bolas Top Star, além das 30 que haviam recebido. Sem dúvidas, está bola já demonstrava uma enorme evolução em relação as bolas utilizadas nos mundiais anteriores, mas muita coisa ainda iria mudar para melhor nas próximas edições. Para a final da Copa de 58, a cor da bola escolhida foi a branca.
#sweden #worldcup #1958worldcup#copadomundo #copade58#copadomundode58 #fifaworldcup#boladacopa #boladefutebol #soccerball#pelota #ballon #museudabola#bolasdefutebol #boladefut #topstar