HÉCTOR PEDRO SCARONE BERETTA

HÉCTOR PEDRO SCARONE BERETTA
.
.
A grande maioria não sabe quem foi Héctor Scarone e eu não os culpo, afinal ele nasceu em 1898. O que precisam saber é que na época em que atuou era considerado um dos mais brilhantes jogadores do mundo e que até hoje ele está na lista dos 30 maiores jogadores da história do Uruguai. Scarone jogou por 15 anos representando sua seleção nacional e nesse período ajudou demais o Uruguai na conquista da Copa do Mundo de 1930 e de quatro edições da Copa América, além de ter participado da conquista de duas medalhas de ouro nos jogos olímpicos de 1924 e 1928. A nível de clube ele passou a maior parte de sua carreira jogando pelo Nacional (onde é considerado um dos maiores ídolos da história do clube), onde conquistou oito títulos nacionais marcando 301 gols em mais de 368 partidas. Também teve passagens pela Inter de Milão, o Palermo e o Barcelona. Depois de se aposentar, Scarone resolveu investir na carreira de treinador. Ele foi o assistente técnico do Millionarios quando o clube colombiano ainda era amador, depois foi treinar o Nacional e o Real Madrid durante a década de 50. Ele morreu em 1967 em Montevideo quando tinha 68 anos de idade. Quando era jovem, suas habilidades com a bola chamaram a atenção de diversos clubes e com isso começou a ser convocado pela seleção uruguaia rapidamente se firmando como titular. Para terem uma amostra do impacto que ele causou, com apenas dezenove anos de idade e em sua quarta partida na seleção, marcou o gol que deu o título da Copa América de 1917, na final diante da Argentina. Até 2011 ele era considerado o maior artilheiro da história do Uruguai e hoje está na quarta posição. Héctor gostava de atuar como ponta direita. Este é um texto biográfico de cunho jornalístico*
.
.
PAÍS: Uruguai 🇺🇾
DATA DE NASCIMENTO: 26/11/1898
NASCIMENTO: Montevideo, Uruguai
MORTE: 04/04/1967 Montevideo
POSIÇÃO: Ataque / Ponta Direita
ALTURA: 1,69m
.
.
CLUBES:
Nacional-Uru, Palermo-Ita, Internazionale e Barcelona
.
.
SELEÇÃO:
Uruguai de 1917 a 1932
(51 partidas, 31 gols)
.
.
CLUBES QUE TREINOU:
Nacional e Real Madrid .
.
#uruguai #jogadorescdf #hector#craquedebola #idolo #camisa10#atacante #uruguay

JUAN SEBASTIÁN VERÓN

JUAN SEBASTIÁN VERÓN
.
.
*ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: Argentina 🇦🇷 DATA NASCIMENTO: 09/03/1975
NASCIMENTO: La Plata, Argentina
POSIÇÃO: Meia
APELIDO: La Brujita
ALTURA: 1,86m
CLUBES:
Estudiantes, Boca Juniors, Sampdoria, Parma, Lazio, Manchester United, Chelsea, Internazionale, Brandsen
SELEÇÃO:
Argentina de 1996 a 2010
(73 partidas e 9 gols) #craquedebola#jogadorescdf #argentina#estudiantes #veron #sebastianveron .
.
Ídolo de milhões de argentinos e até mesmo, por que não, de inúmeros brasileiros, Sebastián Verón já se aposentou dos gramados. Depois de ter sido diretor esportivo, atualmente excerce o papel de presidente do Estudiantes de La Plata (arg), seu clube de coração. A carreira do meia começou na base do próprio Estudiantes, seguiu para o time principal do clube de La Plata, depois Boca Juniors, até que finalmente o argentino se transferiu para o futebol europeu. Verón passou por vários clubes italianos, depois foi jogar no futebol inglês e terminou sua carreira novamente no Estudiantes. Pela seleção argentina, jogou em 73 partidas entre os anos de 1996 e 2010, marcando 9 gols. Ele representou nossos hermanos em três Copas do Mundo e na Copa América de 2007. No ano de 2004 ele foi nomeado um dos 125 maiores jogadores da atualidade, feita pelo Rei Pelé. O ex-jogador tem dupla nacionalidade (italiana e argentina) e ganhou o apelido de “pequeno bruxo”, já que seu pai Juan Ramón era conhecido por “o bruxo” e também era ídolo do Estudiantes. Ao longo de toda sua carreira, conquistou dois campeonatos argentinos, uma libertadores, quatro Copas da Itália, uma Copa da UEFA, dois campeonatos italianos, duas Supercopas italianas, uma Supercopa da UEFA e um campeonato inglês. Sebastián Verón é o filho mais velho do atacante Juan Ramón Verón, que marcou contra o Manchester United, na final da Copa Intercontinental de 68, em pleno Old Trafford, quando vestia a camisa do Estudiantes. Desde pequeno seu sonho sempre havia sido o de jogar pelo Sheffield United, clube pelo qual seu tio Pedro Verde jogava na época. Seu pai tentou colocar Verón para jogar por um dos clubes que ele havia passado, o Panathinaikos da Grécia. Verón era um meia talentoso, completo, influente e versátil, que jogava armando jogadas quando tinha a bola (meia-ofensivo) e na marcação (volante) quando seu time estava sem a posse de bola. Como Verón sabia jogar em múltiplas posições, em algumas partidas ele se destacava por seus excelentes desarmes e em outras ganhava destaque ao marcar os gols decisivos da partida. O meia argentino era dotado de excelente habilidade técnica, visão de jogo, criatividade, passes extremamente precisos e excelente potência em chutes feitos com ambas as pernas. Por último, Verón também se virava muito bem nas cobranças de faltas, principalmente por conta da potência aplicada nas cobranças. Depois de se aposentar dos gramados e pendurar as chuteiras, Verón retornou ao Estudiantes em dezembro de 2012 para trabalhar como Diretor de Esportes. Em outubro de 2014 foi eleito presidente do clube com 75% dos votos, em uma eleição que contou com a participação de 8 mil associados (o máximo na história do clube). Em 2017 conseguiu ser reeleito para um mandato de mais três anos. Verón fazia parte do elenco da Argentina na Copa do Mundo de 1998, quando foram eliminados pela Holanda nas quartas-de-final. Na Copa de 2002 disputada na Coreia e Japão, era um dos principais jogadores do elenco argentino e por isso foi nomeado capitão. Com a eliminação ainda na fase de grupos, sofreu bastante com críticas e foi esquecido por Pekerman na convocação para a Copa de 2006. Por conta de sua ótima performance com o Estudiantes, foi titular na Copa América de 2007. Depois, Maradona ocupou o cargo de técnico da Argentina e acabou convocando Verón para a Copa de 2010, porém ele não atuou na partida que eliminou seu país da competição (disputada contra a Alemanha nas quartas-de-final). No dia 26 de agosto ele se aposentou da seleção, mas ainda disputou o Superclássico das Américas em 2011. Verón foi membro de uma esquadrão invencível que eu ainda não contei a história: o Parma de 1998 a 2000. No clube italiano ele atuou ao lado de Buffon, Thuram, Cannavaro, Dino Baggio, Ortega e Crespo. Em 2000-2001 quando foi da Lazio para o Manchester United foi a contratação mais cara do futebol inglês (£24M)

ANDRZEJ SZARMACH

ANDRZEJ SZARMACH
.
. *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: Polônia 🇵🇱
DATA NASCIMENTO: 03/10/1950
NASCIMENTO: Gdańsk.
POSIÇÃO: Atacante
ALTURA: 1,78m
CLUBES:
Arka Gdynia, Górnik Zabrze, Stal Mielec, Auxerre, Guingamp e Clerment Foot
SELEÇÃO:
Polônia de 1973 a 1982
(61 partidas e 32 gols) #craquedebola#jogadorescdf .
.
Vamos agora voltar para a Polônia e falar sobre mais um grande jogador do leste europeu: Andrzej Szarmach. Apesar de seu nome ser extremamente complicado, seu futebol era simples, efetivo e objetivo. O atacante de 1,78 nasceu no dia 3 de outubro de 1950 e começou sua carreira profissional quando tinha 19 anos de idade. Sua cidade natal se chama Gdańsk, tem população de 500 mil habitantes e fica na costa do Mar Báltico. Por lá, é considerado um “herói” na cidade, inclusive com vários estabelecimentos carregando seu nome. Andrzej ganhou notoriedade e destaque muito mais pelas suas atuações na seleção polonesa do que nos clubes pelos quais passou, mesmo porque não chegou a vestir a camisa de nenhum grande clube em sua carreira. Ele fazia parte da “era de ouro” (década de 70) do futebol polonês. O atacante tinha ninguém menos que Grzegorz Lato na sua direita, Robert Gadocha na sua esquerda e ainda dividia espaço com seu parceiro de ataque, Kazimierz Deyna. O resultado desse grande time foi o terceiro lugar na Copa do Mundo de 1974, com o melhor ataque do mundial (foram 16 gols marcados). Na verdade, Szarmach era considerado reserva na época e foi beneficiado pela ausência do grande Wodzimierz Lubański. O artilheiro da Copa foi Lato com 7 gols, mas Andrzej ficou em segundo lugar empatado com Neeskens da Holanda, com 5 gols marcados. Dois anos depois, nas Olimpíadas do Canadá em 1976, Szarmach calou a boca de quem ainda duvidava de seu potencial, ao liderar o time polaco que obteve a medalha de prata. Nas Olimpíadas daquele ano, além de ter marcado expressivos nove gols, ainda foi eleito o melhor jogador do torneio mundial. Sempre com seu bigodinho e anotando gols sem parar, Szarmach jogou em clubes polacos até ser contratado pelo Auxerre. Foi ídolo no clube francês de 1980 até 1985. Depois de aposentar virou treinador.

BRYAN ROBSON

BRYAN ROBSON .
.
.
Um dos 50 maiores jogadores da história do futebol inglês nasceu na pequena Chester-le-Street, localizada 11km ao sul de Newcastle, Bryan é um ex-jogador e treinador inglês, muito importante na história do Manchester United. Hoje com 62 anos, Bryan Robson foi apontado em 2011 como Embaixador Global do Manchester. Em toda sua carreira ele defendeu apenas 3 clubes, todos da Inglaterra, começando pelo West Bromwich onde atuou por 6 temporadas (sem conquistar nenhum título). Em 1981 foi comprado pelo Manchester, onde atuou por treze temporadas e se tornou um ídolo para os torcedores do clube. Bryan conquistou 8 títulos vestindo a camisa dos Red Devils: 2 campeonatos inglês, 3 copas da Inglaterra, 2 supercopas da Inglaterra e uma taça das taças. No dia 11 de agosto de 2011 ele foi eleito por alguns ex-jogadores do clube, como o maior jogador do Manchester até então. Suas excelentes atuações pelo Manchester, fizeram ele ser convocado para defender a seleção inglesa de 1980 até 1991, fazendo dele o jogador com mais jogos pela Inglaterra na época. Com 26 gols, ele era na época o oitavo maior artilheiro da história da seleção inglesa e até hoje é um dos quatro jogadores que mais captanearam a seleção inglesa. Nos últimos 3 anos de carreira ainda atuou pelo Middlesbrough como jogador e técnico ao mesmo tempo. Depois de pendurar as chuteiras, virou treinador de clubes de menor expressão na Inglaterra e encerrou sua carreira como técnico da seleção da Tailândia. Na carreira como técnico, foram 436 partidas com 148 vitórias. Bryan era um meia exemplar, com excelente visão de jogo e ótimo aproveitamento nas finalizações (as vezes parecendo ser mais um atacante que um meia). Robson é casado e tem 3 filhos. *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: Inglaterra 🏴󠁧󠁢󠁥󠁮󠁧󠁿
DATA NASCIMENTO: 11/01/1957
NASCIMENTO: Chester-le-Street, Inglaterra 🏴󠁧󠁢󠁥󠁮󠁧󠁿
APELIDO: Capitão Marvel
POSIÇÃO: Meia
ALTURA: 1,80m
CLUBES:
West Bromwich Albion, Manchester United e Middlesbrough
SELEÇÃO:
Inglaterra de 1980 a 1991
(90 partidas e 26 gol)
#bryanrobson #inglaterra #england#craquedebola #salto #manchester#captainmarvel #jogadorescdf

JOSÉ LEANDRO ANDRADE

JOSÉ LEANDRO ANDRADE
.
.
Esse jogador atuou praticamente um século atrás e por isso é muitas vezes esquecido por muitos de nós. José Leandro Andrade ganhou o apelido de “Maravilha Negra” e atuou de 1923 até 1934, se tornando um dos maiores jogadores daquela época. Sua mãe era argentina e é especulado que seu pai tenha sido africano, levado ao Brasil como escravo e que posteriormente conseguiu fugir e descer até o Uruguai. Quando pequeno, Andrade se mudou para Montevideo e viveu com seu tio. Antes de ser introduzido ao futebol profissional, chegou a ser baterista de escola de samba, vendedor de jornais e até engraxate. Seu primeiro clube foi o Bella Vista, que naquela época era uma grande vitrine da escola uruguaia, tanto que ele acabou até sendo convocado para a seleção uruguaia. Com todo destaque, foi parar no Nacional, onde venceu quatro campeonatos nacionais e três copas do Uruguai. Depois jogou pelo Peñarol, até ir para a Argentina onde atuaria por mais dois clubes. Pela seleção ele atuou de 1923 até 1930, conquistando 3 Copas Américas, além disso ele também levou o ouro olímpico em 1924 e 1928. Apesar de estar no final de sua carreira, ele estava no elenco que ganhou a Copa do Mundo de 1930. Existe uma placa no Estádio Centenário em sua homenagem. Andrade nunca comemorava seus gols, era extremamente rápido em arrancadas e jogava com maestria e enorme inteligência. Na Copa de 1950, quando o Uruguai foi bicampeão, seu sobrinho fazia parte do elenco e adotou Andrade como seu segundo sobrenome. Andrade faleceu com 55 anos de idade em Motivedeo, em decorrência de alto consumo de álcool e por viver de forma precária no porão de um flat. Até hoje, ele é considerado um dos maiores jogadores da história do Uruguai. *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: Uruguai 🇺🇾
DATA NASCIMENTO: 22/11/1901
DATA DO FALECIMENTO: 05/10/1957
NASCIMENTO: Salto, Uruguai
APELIDO: Maravilha Negra
POSIÇÃO: Volante
ALTURA: 1,80m
CLUBES:
Bella Vista, Nacional, Peñarol, Atlanta, Lanús-Talleres e Wanderers
SELEÇÃO:
Uruguai🇺🇾 de 1923 a 1930
(34 partidas e 1 gol)
#joseandrade #uruguai #montevideo#craquedebola #salto #uruguay#blackmarvel #jogadorescdf

AMADOU JEAN TIGANA .

AMADOU JEAN TIGANA .
.
.
Amadou Jean Tigana foi um grande jogador, um grande e importante volante na história do futebol francês. Além de ter jogado por mais de 16 anos, Tigana também exerceu a função de treinador por mais de 19 anos, mostrando claramente sua paixão pelo futebol. Defendeu sua seleção e seu país por 8 anos, tendo atuado em mais de 50 partidas, com 2 gols marcados. O último trabalho como treinador antes de oficialmente se aposentar, foi como treinador do clube chinês Shanghai Shenhua. No auge de sua carreira, em meados da década de 80, Jean estava certamente entre os melhores volantes do mundo. Sua carreira profissional começou bem tarde, em 1975, quando já tinha 20 anos de idade e chamou a atenção do Touloun. Na época, ele jogava em clubes locais e dividia seu tempo com trabalhos em uma fábrica de macarrão e nos correios. Depois de 3 temporadas, foi contratado pelo Lyon onde atuou por mais 3 anos. Em 1981 o Bordeaux fez a contratação dele depois de pagar 4 milhões de dólares ao Lyon. Pelo Bordeaux jogou por 8 temporadas e no meio do caminho venceu a Eurocopa de 1984 com a seleção francesa. Nesses oito anos pelo Bordeaux, ajudou seu clube do coração a conquistar 3 campeonatos franceses e 3 Copas da França, além de ter quase conquistado a Liga dos Campeões de 1985 (foram eliminados na semi-final). Ele encerrou sua carreira atuando em três temporadas pelo Marseille. Apesar de nascer na África, onde fica o Mali hoje em dia, sua mãe era francesa e por isso ele conseguiu obter cidadania francesa. Tigana fazia parte do “quadrado mágico francês” que contava ainda com Platini, Luis Fernandez e Alain Giresse. Suas maiores qualidades como volante eram: ótima movimentação, condicionamento físico elevado e trabalho em equipe. Tigana foi eleito melhor jogador francês de 1984 e segundo melhor do mundo no mesmo ano.
*ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: França 🇲🇫
DATA: 23/06/1955
NASCIMENTO: Bamako, Mali 🇲🇱
POSIÇÃO: Volante 
ALTURA: 1,68m
CLUBES:
Toulon, Lyon, Bordeaux e Marseille
SELEÇÃO: 
França 🇲🇫 de 1980 a 1988
(52 partidas e 2 gols)
#jeantigana #france #franca#craquedebola #bamako #bordeaux#franceplayer #jogadorescdf

LEONARDO NASCIMENTO ARAUJO PARTE FINAL

CONTINUAÇÃO..
Na primeira temporada Leonardo jogou muito bem e garantiu convocação para a Copa de 98. Na segunda temporada, ano de centenário do Milan, ele jogou melhor ainda e foi um dos principais responsáveis para a conquista da Serie A. Detalhe que naquela temporada o Milan não era considerado favorito ao título, principalmente pelas más campanhas dos anos anteriores. Para conquistar esse título, o clube rossonero venceu suas sete últimas partidas e acabou na frente da Lazio por apenas um ponto. Leonardo marcou doze gols naquele ano, jogou a maior parte do tempo como ponta esquerda e mostrou grande habilidade em lances de bola parada.
Não deu outra: caiu nas graças da torcida, principalmente pela sua simpatia dentro e fora de campo, além de ter sido o responsável pelo gol na vitória sobre a Lazio por 1 a 0 que praticamente decidiu o título. Nos clássicos contra a Inter ele também sempre brilhava e dava um jeito de marcar gols ou dar assistências. Sua despedida veio em uma traumática temporada 2000-01, quando o Deportivo La Coruña eliminou o clube italiano na Liga dos Campeões. Mesmo assim, foi embora de volta ao Brasil com ótima relação frente aos torcedores do Milan. Depois jogou no São Paulo e Flamengo de novo, para então se aposentar pelo Milan. Pela seleção ele iniciou a Copa de 94 como titular, mas depois de ser expulso nas oitavas de final (ao dar uma cotovelada em um jogador norte-americano) acabou não atuando mais na competição. Ganhou a Copa América e a Copa das Confederações de 1997, além de ter sido vice-campeão da Copa de 1998. Depois de se aposentar trabalhou em diversas funções dentro do Milan, inclusive como treinador e atualmente é Diretor de Futebol. Para quem não sabe, Leonardo foi o responsável direto pelas contratações dos brasileiros Kaká, Alexandre Pato e Thiago Silva no Milan. Além de toda trajetória fora dos gramados pelo Milan, Leonardo não parou por aí e também foi treinador da Inter e dirigente do PSG. Leonardo fez carreira como jogador, treinador e dirigente, mostrando ser completamente apaixonado e devoto ao futebol. Um jogador brilhante, que podia atuar em diversos setores do campo e que contribuía demais com assistências e gols

LEONARDO NASCIMENTO ARAÚJO PARTE I

LEONARDO NASCIMENTO ARAÚJO .
.
Mais conhecido apenas como Leonardo, esse versátil atleta brasileiro jogou durante toda sua carreira nas mais diversas posições: lateral esquerdo, meio-campo e atacante. Leonardo Nascimento Araújo nasceu em Niterói no Rio de Janeiro e se consagrou como um dos brasileiros mais queridos e idolatrados da história do Milan. Sua ligação com o clube rossonero é impressionante: além de ter atuado por 5 temporadas como jogador, ainda foi treinador por 1 ano e desde 2018 é o Diretor de Futebol por lá. O começo de sua carreira foi como lateral-esquerdo no Flamengo (na época ele tinha 17 anos), onde jogou ao lado de Zico, Leandro, Andrade, Jorginho, Bebeto e Zinho. Antes de ir para Europa no entanto, Leonardo se destacou bastante atuando pelo São Paulo de Telê Santana. Leonardo fez parte do famoso “esquadrão tricolor”, campeão brasileiro de 1991 e que tinha grande elenco (Raí, Cafu, Müller e companhia). Seu primeiro clube no velho continente foi o Valência e isso durou apenas duas temporadas. Depois acabou retornando ao S.P.F.C para disputar o mundial de 1993 (título que conquistou ao vencerem o próprio Milan). Depois da Copa de 94 foi para o Japão, jogar no Kashima e mais uma vez ao lado de Zico. Depois jogou 1 temporada no PSG e aí finalmente com 27 anos foi contratado pelo Milan, clube que marcaria de vez sua carreira. Quando chegou em Milão, Leonardo já tinha conquistado a Copa União de 1987 pelo Flamengo, o campeonato brasileiro de 1991, a Libertadores de 1993, as Recopas Sul-Americanas de 93 e 94, além do Mundial de 93 pelo São Paulo e finalmente o campeonato japonês de 96 pelo Kashima Antlers. Na década de 90 o campeonato italiano era o mais competitivo do mundo e brilhar por lá era tarefa possível para muito poucos. CONTINUA . *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: Brasil 🇧🇷
DATA: 05/09/1969
NASCIMENTO: Niterói, Rio de Janeiro
CARGO ATUAL: Diretor de Futebol do Milan
POSIÇÃO: Meia-atacante
ALTURA: 1,75m
CLUBES:
Flamengo, São Paulo, Valência, Kashima Antlers, PSG e Milan
SELEÇÃO:
Brasil 🇧🇷 de 1990 a 2002
(60 partidas e 8 gols)
#leonardo #brazuka #brasil#craquedebola #milanidol #acmilan

GIANCARLO ANTOGNONI

GIANCARLO ANTOGNONI
.
.
No futebol existem muitos jogadores que se tornam ídolos em alguns clubes e isso se dá principalmente devido à devoção e ao tempo que ficam atuando por lá. No entanto, existem alguns raros atletas, que simplesmente superam essa marca e acabam se tornando verdadeiros ídolos supremos, ou seja, se tornam praticamente figuras endeusadas para seus torcedores. Giancarlo Antognoni é um desses casos. Em março de 2011 foi feito um dia inteiro no centro de Florença, dedicado ao maior jogador da história da Fiorentina até hoje. Nesse dia vários ex-jogadores, técnicos, diretores, imprensa e torcedores viola se reuniram no ginásio da cidade para prestar homenagem à Giancarlo. É verdade que Antognoni não conquistou muitos títulos com a Fiorentina, porém seu talento como meia-atacante é indiscutível, principalmente pelo fato dele ter se destacado facilmente em relação aos demais atletas do clube italiano. Em decorrência do seu excelente futebol, ao longo dos 15 anos que Antognoni atuou pela Fiorentina, ele foi muito assediado pelos gigantes da Itália como: Juventus, Inter de Milão, Milan e Roma. Giancarlo fazia questão de deixar claro que sua casa era a Fiorentina e que ele não sairia de Florença para nenhum outro grande clube italiano. Ao cumprir sua palavra, acabou se tornando o jogador que mais vestiu a camisa da viola em toda história. Somente 2 anos antes de se aposentar é que ele aceitou a proposta de um clube suíço e deixou a Fiorentina (provavelmente por motivos financeiros). Pela seleção italiana atuou por 9 anos e foi muito importante na campanha do tricampeonato, alcançado na Copa de 1982. Depois de se aposentar em 1989 tentou virar dirigente, mas depois de ver a Fiorentina ser rebaixada para a série B logo em seu primeiro ano de trabalho, acabou desistindo dessa ideia.
.
. *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: Itália 🇮🇹
DATA: 01/04/1954
NASCIMENTO: Marsciano
CLUBE ATUAL: Aposentado
POSIÇÃO: Meia-atacante
ALTURA: 1,77m
CLUBES:
1970-1972 Asti F.C
1972-1987 Fiorentina
1987-1989 Lausanne Sports
SELEÇÃO:
Itália 🇮🇹 de 1974 a 1983
(73 partidas e 7 gols)
#antognoni #italy #italia#craquedebola #giancarloantognoni

MARIUS TRÉSOR

MARIUS TRÉSOR .
.
Ele ficou dentro da lista dos 125 melhores jogadores ainda vivos, feita pelo Rei Pelé em 2004. Eleito jogador francês do ano de 1972 e o sexto melhor jogador francês do século 20 pela France Football. Ele é considerado um dos melhores zagueiros de todos os tempos e com certeza um dos 50 maiores jogadores que a França já teve até hoje. Ele é Marius Trésor, a Muralha. Acreditem pessoal, passar por esse defensor era uma das tarefas mais difíceis para qualquer atacante durante a década de 70. Marius, hoje com 69 anos, nasceu em Guadalupe no dia 15 de janeiro de 1950. Para quem não conhece, Guadalupe é um departamento ultramarino da França localizado no Caribe. Começou sua carreira na base de um clube local de Guadalupe chamado Juventus de Sainte-Anne. Depois de ficar na ilha jogando no Juventus dos 8 aos 18 anos, Marius conseguiu acertar sua transferência para o pequeno Ajaccio da França, onde ficou por 4 temporadas. Só que ele jogava demais e logo chamou a atenção do Marseille, que não perdeu tempo em o contratar. Foram 8 temporadas por lá, onde virou o “xerife” da zaga e também ídolo absoluto dos torcedores. No fim da carreira ainda jogou 4 temporadas pelo Bordeaux. Na seleção, sua primeira convocação aconteceu em 1971 e sua despedida ocorreu em 1983. Nesses 12 anos e 65 partidas pela seleção francesa, Marius disputou 2 Copas do Mundo: 1978 e 1982 (quando a França terminou em quarto lugar). Em 30 de junho de 1977, ele marcou um dos gols franceses no empate com a seleção brasileira em pleno Maracanã (partida amistosa). Marius foi campeão da Copa Francesa de 1975-76 com o Marseille e do campeonato francês com o Bordeaux em 1983-84. Com certeza se o Marseille tivesse um time mais forte e competitivo naquela época, Marius teria muito mais títulos em sua carreira.
.
. *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: França 🇫🇷
DATA: 15/01/1950
NASCIMENTO: Saint-Anne, Guadalupe
CLUBE ATUAL: Aposentado
POSIÇÃO: Zagueiro
ALTURA: 1,82m
CLUBES:
1969-1972 Ajaccio
1972-1980 Marseille
1980-1984 Bordeaux
SELEÇÃO:
França 🇫🇷 de 1971 a 1983
(65 partidas e 4 gols)
#mariustresor #france #franca#craquedebola #olympiquemarseille