AMADOU JEAN TIGANA .

AMADOU JEAN TIGANA .
.
.
Amadou Jean Tigana foi um grande jogador, um grande e importante volante na história do futebol francês. Além de ter jogado por mais de 16 anos, Tigana também exerceu a função de treinador por mais de 19 anos, mostrando claramente sua paixão pelo futebol. Defendeu sua seleção e seu país por 8 anos, tendo atuado em mais de 50 partidas, com 2 gols marcados. O último trabalho como treinador antes de oficialmente se aposentar, foi como treinador do clube chinês Shanghai Shenhua. No auge de sua carreira, em meados da década de 80, Jean estava certamente entre os melhores volantes do mundo. Sua carreira profissional começou bem tarde, em 1975, quando já tinha 20 anos de idade e chamou a atenção do Touloun. Na época, ele jogava em clubes locais e dividia seu tempo com trabalhos em uma fábrica de macarrão e nos correios. Depois de 3 temporadas, foi contratado pelo Lyon onde atuou por mais 3 anos. Em 1981 o Bordeaux fez a contratação dele depois de pagar 4 milhões de dólares ao Lyon. Pelo Bordeaux jogou por 8 temporadas e no meio do caminho venceu a Eurocopa de 1984 com a seleção francesa. Nesses oito anos pelo Bordeaux, ajudou seu clube do coração a conquistar 3 campeonatos franceses e 3 Copas da França, além de ter quase conquistado a Liga dos Campeões de 1985 (foram eliminados na semi-final). Ele encerrou sua carreira atuando em três temporadas pelo Marseille. Apesar de nascer na África, onde fica o Mali hoje em dia, sua mãe era francesa e por isso ele conseguiu obter cidadania francesa. Tigana fazia parte do “quadrado mágico francês” que contava ainda com Platini, Luis Fernandez e Alain Giresse. Suas maiores qualidades como volante eram: ótima movimentação, condicionamento físico elevado e trabalho em equipe. Tigana foi eleito melhor jogador francês de 1984 e segundo melhor do mundo no mesmo ano.
*ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: França 🇲🇫
DATA: 23/06/1955
NASCIMENTO: Bamako, Mali 🇲🇱
POSIÇÃO: Volante 
ALTURA: 1,68m
CLUBES:
Toulon, Lyon, Bordeaux e Marseille
SELEÇÃO: 
França 🇲🇫 de 1980 a 1988
(52 partidas e 2 gols)
#jeantigana #france #franca#craquedebola #bamako #bordeaux#franceplayer #jogadorescdf

LEONARDO NASCIMENTO ARAUJO PARTE FINAL

CONTINUAÇÃO..
Na primeira temporada Leonardo jogou muito bem e garantiu convocação para a Copa de 98. Na segunda temporada, ano de centenário do Milan, ele jogou melhor ainda e foi um dos principais responsáveis para a conquista da Serie A. Detalhe que naquela temporada o Milan não era considerado favorito ao título, principalmente pelas más campanhas dos anos anteriores. Para conquistar esse título, o clube rossonero venceu suas sete últimas partidas e acabou na frente da Lazio por apenas um ponto. Leonardo marcou doze gols naquele ano, jogou a maior parte do tempo como ponta esquerda e mostrou grande habilidade em lances de bola parada.
Não deu outra: caiu nas graças da torcida, principalmente pela sua simpatia dentro e fora de campo, além de ter sido o responsável pelo gol na vitória sobre a Lazio por 1 a 0 que praticamente decidiu o título. Nos clássicos contra a Inter ele também sempre brilhava e dava um jeito de marcar gols ou dar assistências. Sua despedida veio em uma traumática temporada 2000-01, quando o Deportivo La Coruña eliminou o clube italiano na Liga dos Campeões. Mesmo assim, foi embora de volta ao Brasil com ótima relação frente aos torcedores do Milan. Depois jogou no São Paulo e Flamengo de novo, para então se aposentar pelo Milan. Pela seleção ele iniciou a Copa de 94 como titular, mas depois de ser expulso nas oitavas de final (ao dar uma cotovelada em um jogador norte-americano) acabou não atuando mais na competição. Ganhou a Copa América e a Copa das Confederações de 1997, além de ter sido vice-campeão da Copa de 1998. Depois de se aposentar trabalhou em diversas funções dentro do Milan, inclusive como treinador e atualmente é Diretor de Futebol. Para quem não sabe, Leonardo foi o responsável direto pelas contratações dos brasileiros Kaká, Alexandre Pato e Thiago Silva no Milan. Além de toda trajetória fora dos gramados pelo Milan, Leonardo não parou por aí e também foi treinador da Inter e dirigente do PSG. Leonardo fez carreira como jogador, treinador e dirigente, mostrando ser completamente apaixonado e devoto ao futebol. Um jogador brilhante, que podia atuar em diversos setores do campo e que contribuía demais com assistências e gols

LEONARDO NASCIMENTO ARAÚJO PARTE I

LEONARDO NASCIMENTO ARAÚJO .
.
Mais conhecido apenas como Leonardo, esse versátil atleta brasileiro jogou durante toda sua carreira nas mais diversas posições: lateral esquerdo, meio-campo e atacante. Leonardo Nascimento Araújo nasceu em Niterói no Rio de Janeiro e se consagrou como um dos brasileiros mais queridos e idolatrados da história do Milan. Sua ligação com o clube rossonero é impressionante: além de ter atuado por 5 temporadas como jogador, ainda foi treinador por 1 ano e desde 2018 é o Diretor de Futebol por lá. O começo de sua carreira foi como lateral-esquerdo no Flamengo (na época ele tinha 17 anos), onde jogou ao lado de Zico, Leandro, Andrade, Jorginho, Bebeto e Zinho. Antes de ir para Europa no entanto, Leonardo se destacou bastante atuando pelo São Paulo de Telê Santana. Leonardo fez parte do famoso “esquadrão tricolor”, campeão brasileiro de 1991 e que tinha grande elenco (Raí, Cafu, Müller e companhia). Seu primeiro clube no velho continente foi o Valência e isso durou apenas duas temporadas. Depois acabou retornando ao S.P.F.C para disputar o mundial de 1993 (título que conquistou ao vencerem o próprio Milan). Depois da Copa de 94 foi para o Japão, jogar no Kashima e mais uma vez ao lado de Zico. Depois jogou 1 temporada no PSG e aí finalmente com 27 anos foi contratado pelo Milan, clube que marcaria de vez sua carreira. Quando chegou em Milão, Leonardo já tinha conquistado a Copa União de 1987 pelo Flamengo, o campeonato brasileiro de 1991, a Libertadores de 1993, as Recopas Sul-Americanas de 93 e 94, além do Mundial de 93 pelo São Paulo e finalmente o campeonato japonês de 96 pelo Kashima Antlers. Na década de 90 o campeonato italiano era o mais competitivo do mundo e brilhar por lá era tarefa possível para muito poucos. CONTINUA . *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: Brasil 🇧🇷
DATA: 05/09/1969
NASCIMENTO: Niterói, Rio de Janeiro
CARGO ATUAL: Diretor de Futebol do Milan
POSIÇÃO: Meia-atacante
ALTURA: 1,75m
CLUBES:
Flamengo, São Paulo, Valência, Kashima Antlers, PSG e Milan
SELEÇÃO:
Brasil 🇧🇷 de 1990 a 2002
(60 partidas e 8 gols)
#leonardo #brazuka #brasil#craquedebola #milanidol #acmilan

GIANCARLO ANTOGNONI

GIANCARLO ANTOGNONI
.
.
No futebol existem muitos jogadores que se tornam ídolos em alguns clubes e isso se dá principalmente devido à devoção e ao tempo que ficam atuando por lá. No entanto, existem alguns raros atletas, que simplesmente superam essa marca e acabam se tornando verdadeiros ídolos supremos, ou seja, se tornam praticamente figuras endeusadas para seus torcedores. Giancarlo Antognoni é um desses casos. Em março de 2011 foi feito um dia inteiro no centro de Florença, dedicado ao maior jogador da história da Fiorentina até hoje. Nesse dia vários ex-jogadores, técnicos, diretores, imprensa e torcedores viola se reuniram no ginásio da cidade para prestar homenagem à Giancarlo. É verdade que Antognoni não conquistou muitos títulos com a Fiorentina, porém seu talento como meia-atacante é indiscutível, principalmente pelo fato dele ter se destacado facilmente em relação aos demais atletas do clube italiano. Em decorrência do seu excelente futebol, ao longo dos 15 anos que Antognoni atuou pela Fiorentina, ele foi muito assediado pelos gigantes da Itália como: Juventus, Inter de Milão, Milan e Roma. Giancarlo fazia questão de deixar claro que sua casa era a Fiorentina e que ele não sairia de Florença para nenhum outro grande clube italiano. Ao cumprir sua palavra, acabou se tornando o jogador que mais vestiu a camisa da viola em toda história. Somente 2 anos antes de se aposentar é que ele aceitou a proposta de um clube suíço e deixou a Fiorentina (provavelmente por motivos financeiros). Pela seleção italiana atuou por 9 anos e foi muito importante na campanha do tricampeonato, alcançado na Copa de 1982. Depois de se aposentar em 1989 tentou virar dirigente, mas depois de ver a Fiorentina ser rebaixada para a série B logo em seu primeiro ano de trabalho, acabou desistindo dessa ideia.
.
. *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: Itália 🇮🇹
DATA: 01/04/1954
NASCIMENTO: Marsciano
CLUBE ATUAL: Aposentado
POSIÇÃO: Meia-atacante
ALTURA: 1,77m
CLUBES:
1970-1972 Asti F.C
1972-1987 Fiorentina
1987-1989 Lausanne Sports
SELEÇÃO:
Itália 🇮🇹 de 1974 a 1983
(73 partidas e 7 gols)
#antognoni #italy #italia#craquedebola #giancarloantognoni

MARIUS TRÉSOR

MARIUS TRÉSOR .
.
Ele ficou dentro da lista dos 125 melhores jogadores ainda vivos, feita pelo Rei Pelé em 2004. Eleito jogador francês do ano de 1972 e o sexto melhor jogador francês do século 20 pela France Football. Ele é considerado um dos melhores zagueiros de todos os tempos e com certeza um dos 50 maiores jogadores que a França já teve até hoje. Ele é Marius Trésor, a Muralha. Acreditem pessoal, passar por esse defensor era uma das tarefas mais difíceis para qualquer atacante durante a década de 70. Marius, hoje com 69 anos, nasceu em Guadalupe no dia 15 de janeiro de 1950. Para quem não conhece, Guadalupe é um departamento ultramarino da França localizado no Caribe. Começou sua carreira na base de um clube local de Guadalupe chamado Juventus de Sainte-Anne. Depois de ficar na ilha jogando no Juventus dos 8 aos 18 anos, Marius conseguiu acertar sua transferência para o pequeno Ajaccio da França, onde ficou por 4 temporadas. Só que ele jogava demais e logo chamou a atenção do Marseille, que não perdeu tempo em o contratar. Foram 8 temporadas por lá, onde virou o “xerife” da zaga e também ídolo absoluto dos torcedores. No fim da carreira ainda jogou 4 temporadas pelo Bordeaux. Na seleção, sua primeira convocação aconteceu em 1971 e sua despedida ocorreu em 1983. Nesses 12 anos e 65 partidas pela seleção francesa, Marius disputou 2 Copas do Mundo: 1978 e 1982 (quando a França terminou em quarto lugar). Em 30 de junho de 1977, ele marcou um dos gols franceses no empate com a seleção brasileira em pleno Maracanã (partida amistosa). Marius foi campeão da Copa Francesa de 1975-76 com o Marseille e do campeonato francês com o Bordeaux em 1983-84. Com certeza se o Marseille tivesse um time mais forte e competitivo naquela época, Marius teria muito mais títulos em sua carreira.
.
. *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: França 🇫🇷
DATA: 15/01/1950
NASCIMENTO: Saint-Anne, Guadalupe
CLUBE ATUAL: Aposentado
POSIÇÃO: Zagueiro
ALTURA: 1,82m
CLUBES:
1969-1972 Ajaccio
1972-1980 Marseille
1980-1984 Bordeaux
SELEÇÃO:
França 🇫🇷 de 1971 a 1983
(65 partidas e 4 gols)
#mariustresor #france #franca#craquedebola #olympiquemarseille

SEPP MAIER

SEPP MAIER
.
.
Ele é um dos 30 maiores goleiros que já existiram, com certeza um dos 5 maiores que a Alemanha já teve: ele é Sepp Maier. Hoje com 74 anos, vive sua aposentadoria, mas quando tinha apenas 18 anos já era goleiro do Bayern de Munique. Sepp tinha reflexos fora da média, uma agilidade e flexibilidade inacreditável e muita regularidade nas suas performances. Não foi por acaso que ele jogou por 18 anos no maior clube alemão, aliás seu único clube em toda a carreira, tanto que é considerado um dos maiores ídolos do Bayern de Munique. Pelo clube bávaro Sepp conquistou: 4 campeonatos alemães, 4 copas da Alemanha, 3 Ligas dos Campeões (consecutivas), 1 mundial e 1 Copa dos Campeões da UEFA. Isso tudo de títulos e só estamos falando a nível de clube. Pela seleção alemã Sepp jogou por 13 anos, foram 95 partidas, conquistando a Copa do Mundo de 1974 e a Eurocopa de 1972. Em termos de premiações e reconhecimento, Maier está na lista do Rei Pelé feita para a FIFA como um dos 100 maiores atletas que já existiram no futebol, além de ter ficado entre os 100 maiores jogadores em uma seleção feita pela revista World Soccer, ter sido eleito 3 vezes jogador do ano na Alemanha e estar no Hall da Fama do país. Além da parte técnica, ele também ganhou fama por usar shorts muito longo, por ter sido pioneiro na utilização das luvas “Mickey Mouse” (luvas de tamanho exagerado) e por ter excelente senso de humor. Ver esse goleiro bravo era algo bem raro, inclusive existe um episódio que ficou famoso: O adversário do Bayern era tão fraco, que sequer tinha “visitado” seu gol, então enquanto a bola rolava, Maier tentou pegar um pato que havia invadido o campo e fez muita gente morrer de rir. Sim, ele fez isso. Para quem não sabe, depois que se aposentou, Sepp foi mentor de Oliver Kahn e treinador de goleiros do Bayern e da seleção alemã. . *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: Alemanha 🇩🇪
APELIDO: Gato de Anzing
DATA: 28/02/1944
NASCIMENTO: Metten
CLUBE ATUAL: Aposentado
POSIÇÃO: Goleiro
ALTURA: 1,85m
CLUBES: 1962-1980 Bayern de Munique
SELEÇÃO:
Alemanha Ocidental de 1966 a 1979
(95 partidas)
#sepp #seppmaier #germany#craquedebola #jogadorescdf

PAUL VAN HIMST

PAUL VAN HIMST
.
.
Ele pode não ser muito conhecido mundialmente, mas é um dos jogadores mais importantes da história do futebol belga. Detém o recorde de jogador com mais premiações da “Chuteira Dourada” ( premiação dada no início de cada ano ao melhor jogador atuando na Bélgica). Em sua trajetória, ele foi eleito o melhor da Bélgica em 4 ocasiões, além de ter ficado em segundo lugar 3 vezes. Em 2003 foi eleito pela Associação de Futebol Belga o melhor jogador do país nos últimos 50 anos. Hoje com 75 anos, Paul é um dos maiores ídolos do maior clube belga: o Anderlecht. Além de jogar quase que toda a sua carreira no clube de seu coração, Paul também jogou por outros dois clubes belgas: o Molenbeek, que foi extinto e o Eendracht Aaist, que estava na segunda divisão. Em 16 temporadas atuando com a camisa do Anderlecht, o atacante conquistou 8 campeonatos belga, atuou por mais de 450 partidas e anotou 233 gols.
Pela seleção belga atuou por longos 14 anos (de 1960 até 1974) e ajudou a sua seleção a ser terceira colocada na Eurocopa de 1972. Depois de se aposentar dos gramados em 1977, Paul decidiu seguir sua trajetória profissional como treinador. Ele atuou como treinador por 13 anos e dirigiu o Anderlecht, seu clube do coração, por 3 temporadas (1983-1986), além do Molenbeek por 1 temporada e a seleção belga por 5 anos (1991-1996), inclusive classificando eles para a disputa da Copa de 1994.
Paul tinha um estilo único de driblar os adversários e por isso sofria um número excessivo de faltas, motivo pelo qual ganhou o apelido de “Paul Gramado”. Ele é o décimo jogador que mais atuou e o segundo (empatado com Bernard Voorhoof) que mais marcou com a camisa da seleção belga. A sua mulher faleceu em 2013..CONTINUA…. *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: Bélgica 🇧🇪
DATA: 2/10/1943
APELIDO: Paul Gramado
NASCIMENTO: Sint-Pieters-Leeuw
CLUBE ATUAL: Aposentado
POSIÇÃO: Atacante
ALTURA: 1,81m
CLUBES:
1959-1975 Anderlecht
1975-1976 Molenbeek
1976-1977 Eendracht Aaist
SELEÇÃO:
Bélgica 🇧🇪 de 1960 a 1974
(81 partidas e 30 gols)
CLUBES QUE TREINOU:
Anderlecht, Molenbeek, Seleção da Bélgica
#vanhimst #belgica #belgium#craquedebola

Trezeguet Parte Final

ÚLTIMA PARTE .
.
CONTINUAÇÃO…Treze foi fundamental para fazer o River voltar à divisão de elite argentina. Ele jogou por 2 temporadas no clube do seu coração e deixou a torcida do River encantada com seu futebol ofensivo e objetivo. Depois que o Newell’s Old Boys perdeu sua estrela Ignacio Scocco, escolheram que Trezeguet seria o nome ideal para substituí-lo. Depois de uma temporada fraca no clube argentino, acabou indo para o Pune City da Índia, clube onde encerraria a carreira. No dia 20 de janeiro de 2015, aos 37 anos de idade, Trezeguet anunciou que estava pendurando as chuteiras. Na Copa do Mundo de 2006, a França foi para a final contra a Itália e o jogo foi decidido nas cobranças de pênaltis. Trezeguet chutou a bola no travessão e viu a Itália se tornar tetracampeã mundial. Entre 2006 e 2008 ele se desentendeu por diversas vezes com o treinador Raymond Domenech e inclusive em 2008, afirmou que esse era um dos motivos pelo qual estava se aposentando da seleção. Trezeguet é muito próximo de Thierry Henry, pois ambos jogaram no Mônaco na mesma época. Ele tem dois filhos e se divorciou após casamento que durou 13 anos. Depois de participar de 3 Copas do Mundo, 2 Eurocopas e marcar 232 gols em 552 jogos, David Trezeguet é realmente um ícone na história do futebol francês (por conta da seleção) e italiano (por conta de sua contribuição à Juventus). Conquistou 1 Copa, 1 Eurocopa, 2 campeonatos franceses, 1 Supercopa da França, 2 campeonatos italianos da primeira divisão e um da segunda, 2 Supercopas da Itália e 1 Campeonato Argentino da segunda divisão. No resumo, Trezeguet foi um atacante completo, com um faro incrível de gols e um jogador extremamente oportunista. As suas lesões ao longo da carreira impediram que ele fosse mais longe ainda, porém ele é o quarto maior artilheiro da história de uma dos maiores clubes do mundo. Se mostrou um jogador fiel ao clube italiano, quando muitos de seus colegas preferiram sair de lá após o escândalo de 2005 e com isso ganhou o coração dos torcedores bianconeros. Não é por acaso que seu principal apelido acabou virando “Rei David” em Turim. *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO

Trezeguet Parte II

PARTE II
.
.
Com a Velha Senhora, Trezeguet jogou com uma legião de craques, entre eles: Zidane, Del Piero, van der Sar, Conte e Davids. Ele não chegou a ser titular absoluto, exatamente porque o elenco da Juventus no início dos anos 2000 era espetacular e Ancelotti acabava preferindo outro monstro chamado Inzaghi. Só que o “Rei David” sabia aproveitar oportunidades e durante várias temporadas foi o artilheiro do clube na Série A. O verdadeiro auge de sua carreira veio quando Ancelotti foi para o Milan e levou Inzaghi com ele, dando assim a abertura que precisava. Com Marcello Lippi no comando, Trezeguet virou titular e ajudou a Juve a ser campeã italiana na temporada 2001-02, inclusive com ele dividindo a artilharia da Série A (24 gols). Depois do vexame da França na Copa do Mundo de 2002, Trezeguet sofreu uma série de lesões e ainda perdeu um pênalti decisivo na final da Champions 2002-03 contra o rival Milan. Em 2004 a Juventus resolveu investir pesado em Ibrahimovic, que ficava como opção a Trezeguet e Del Piero. Em 2005, chegou a marca de 100 gols e se tornou o maior goleador estrangeiro da história do clube italiano (inclusive passando Platini). Depois veio o escândalo que já contei aqui na página #polemicascdf sobre a máfia do apito e como resultado a Juventus foi rebaixada. Muitos craques saíram, mas outros decidiram se manter fiéis e ficaram no clube para disputar a Série B e Trezeguet foi um deles. Ele contribuiu muito para a rápida volta à Série A e marcou 20 gols na temporada seguinte. Em 2010, ele e o clube resolveram não renovar seu contrato. Trezeguet saiu de lá com 171 gols e 318 jogos disputados, o que o tornou o quarto maior artilheiro da história da Juventus. Até hoje, ele é considerado um dos dez maiores atacantes da história dos bianconeros e portanto, um dos jogadores mais idolatrados em Turim. Depois de ir para o tímido Hércules, que havia acabado de subir da segunda divisão na Espanha, Trezeguet ainda passou pelos Emirados Árabes antes de ir jogar no seu clube de coração: o River Plate. Quando chegou, o clube argentino estava na segunda divisão e Treze foi fundamental para CONTINUA…. *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*

DAVID SERGIO TREZEGUET

DAVID SERGIO TREZEGUET
.
.
PARTE I
Um dos maiores atacantes que a França já teve, um jogador apaixonado pelo futebol argentino e um ídolo supremo da Juventus. David Trezeguet anunciou sua aposentadoria há quase 5 anos atrás (21 de janeiro de 2014), mas nunca será esquecido pelos amantes futebolísticos. Filho do também ex-jogador Jorge Trezeguet, ele nasceu na pequena cidade de Rouen, França, mas com apenas 2 anos sua família acabou se mudando para a Argentina (onde ele começou sua carreira). Em 1994 estreou com apenas 16 anos nas categorias de base do Platense, um pequeno clube da grande Buenos Aires. Como tinha nacionalidade francesa, sua transferência para clubes de lá eram mais fáceis e ele acabou recebendo uma proposta do Mônaco. Ele ainda era desconhecido na época em que chegou, mas foi embora depois de ter atuado por 5 anos no principado e com o apelido de “Rei David”. Foram 124 jogos e 62 gols em 5 temporadas, o gol mais potente da história da Champions (157 km/h) e dois títulos nacionais, tudo isso rendendo a ele a convocação para a seleção francesa que disputaria a Copa de 1998 em casa. O atacante foi titular em todas as partidas da primeira fase, mas acabou perdendo espaço para Guivarc’h e não jogou a grande final contra o Brasil. Depois de se aposentar, Trezeguet admitiu que se perguntava na época se teria condições de ser atacante titular da seleção argentina, que na época contava com Batistuta e Crespo. Na Eurocopa de 2000, Trezeguet foi o responsável por marcar o gol de ouro na grande final contra a Itália e foi um dos principais jogadores da campanha vitoriosa dos franceses. Com as boas atuações no campeonato francês, na Copa do Mundo e na Eurocopa, David Trezeguet já era assediado por diversos clubes de ponta do Velho Continente e acabou sendo contratado pela Velha Senhora.
.CONTINUA…. *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*
.
.
PAÍS: França 🇫🇷
DATA: 15/10/1977
NASCIMENTO: Rouen
CLUBE ATUAL: Aposentado
POSIÇÃO: Atacante
ALTURA: 1,90m
CLUBES: Platense, Mônaco, Juventus, Hércules, Banyias, River, Newell”s Old Boys e Pune City
SELEÇÃO:
França 🇫🇷 de 1998 a 2008
(71 partidas e 34 gols)
#trezeguet #franca #france #craquedebola