Trezeguet Parte II

PARTE II
.
.
Com a Velha Senhora, Trezeguet jogou com uma legião de craques, entre eles: Zidane, Del Piero, van der Sar, Conte e Davids. Ele não chegou a ser titular absoluto, exatamente porque o elenco da Juventus no início dos anos 2000 era espetacular e Ancelotti acabava preferindo outro monstro chamado Inzaghi. Só que o “Rei David” sabia aproveitar oportunidades e durante várias temporadas foi o artilheiro do clube na Série A. O verdadeiro auge de sua carreira veio quando Ancelotti foi para o Milan e levou Inzaghi com ele, dando assim a abertura que precisava. Com Marcello Lippi no comando, Trezeguet virou titular e ajudou a Juve a ser campeã italiana na temporada 2001-02, inclusive com ele dividindo a artilharia da Série A (24 gols). Depois do vexame da França na Copa do Mundo de 2002, Trezeguet sofreu uma série de lesões e ainda perdeu um pênalti decisivo na final da Champions 2002-03 contra o rival Milan. Em 2004 a Juventus resolveu investir pesado em Ibrahimovic, que ficava como opção a Trezeguet e Del Piero. Em 2005, chegou a marca de 100 gols e se tornou o maior goleador estrangeiro da história do clube italiano (inclusive passando Platini). Depois veio o escândalo que já contei aqui na página #polemicascdf sobre a máfia do apito e como resultado a Juventus foi rebaixada. Muitos craques saíram, mas outros decidiram se manter fiéis e ficaram no clube para disputar a Série B e Trezeguet foi um deles. Ele contribuiu muito para a rápida volta à Série A e marcou 20 gols na temporada seguinte. Em 2010, ele e o clube resolveram não renovar seu contrato. Trezeguet saiu de lá com 171 gols e 318 jogos disputados, o que o tornou o quarto maior artilheiro da história da Juventus. Até hoje, ele é considerado um dos dez maiores atacantes da história dos bianconeros e portanto, um dos jogadores mais idolatrados em Turim. Depois de ir para o tímido Hércules, que havia acabado de subir da segunda divisão na Espanha, Trezeguet ainda passou pelos Emirados Árabes antes de ir jogar no seu clube de coração: o River Plate. Quando chegou, o clube argentino estava na segunda divisão e Treze foi fundamental para CONTINUA…. *ESTE É UM TEXTO BIOGRÁFICO COM CUNHO JORNALÍSTICO*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s