Budapest Honvéd 1950-1955 Parte IV

O fato da partida acontecer na Bélgica foi crucial para o Bilbao avançar, já que a partida terminou em 3 a 3. Ser eliminado da Liga dos Campeões foi um trauma para aquele timaço e os principais jogadores do time como Puskás, Kocsis e Czibor resolveram cair fora do esquadrão, acertando transferências para outros clubes europeus. Puskás foi o que se deu melhor ao ir para o Real Madrid jogar com outra lenda do futebol: Di Stéfano. É claro que com esse mini-desmanche não havia condições do Honvéd se manter no topo, ainda mais com o campeonato de 1957 cancelado ainda por conta da instabilidade política do país. E esse foi o fim de mais um grande time e verdadeiro esquadrão invencível, que ocupou a Europa do início até a metade da década de 50. Assim como o Torino dos anos 40, até hoje (e com razão) os torcedores do Honvéd e amantes desse time lamentam demais não terem conquistado um torneio internacional sequer. O grande azar desse esquadrão foi o “timing”, já que a Liga dos Campeões foi criada justamente quando o brilho do time começava a ser ofuscado pela guerra civil. O Honvéd é só mais um ótimo exemplo das “grandes injustiças” desse esporte chamado futebol. Vamos agora conhecer um pouco mais sobre os principais jogadores desse timaço. Começando pelo gol onde ficava Grosics, mais conhecido como o “Pantera Negra”. Ele jogou 86 jogos pela seleção húngara e 126 pelo Honvéd, conquistou a medalha de ouro com a Hungria nas Olimpíadas de 52 e defendou o gol do Honvéd de 1950 até 1957. O Pantera Negra foi eleito melhor goleiro da Copa de 54 e disputou as Copas de 1950,54 e 62 pela Hungria. Como o sistema tático do time chegou a variar de 3-2-5, para 4-2-4 e até um 5-0-5 (sim, bizarro), era dificil definir quem era zagueiro e quem não era. Os principais defensores eram Kovács e Rákóczi, mas eventualmente Lorrant, Bányai e Bozsik se juntavam a eles. Desses nomes aí, destaque para Bozsik, que é o jogador que mais vestiu a camisa do Honvéd na história, com 447 jogos. Ele é tão idolatrado pela torcida, que deu nome ao estádio do clube. Foi realmente um ícone da equipe naqueles anos 50. Na próxima e última parte eu continuo a contar sobre os principais personagens. CONTINUA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s