PSV 1985-1990 Parte II

CONTINUA… PSV viveu um momento péssimo em sua história entre 1979 e 1984, foram 5 anos sem títulos de expressão e uma consolidação do clube como o “terceiro da holanda”, atrás de seus rivais Ajax e Feyenoord. Até 1985, o último título do PSV foi a Copa da UEFA de 1977-78. Por conta da pressão da torcida e pelo fato do clube querer conquistar algo grande, um investimento muito pesado foi feito para a segunda metade da década de 80. A dona do clube, Philips, foi quem abriu os cofres para facilitar a montagem de um grande esquadrão. O novo diretor de futebol pegou a grana e logo tratou de contrar Ruud Gullit do rival Feyenoord, além de Soren Lerby, Gerald Vanenburg e Eric Gerets. Não demorou muito tempo não e na temporada 1985-86 as contratações já surtiram efeito: título holandês com oito pontos de vantagem para o Ajax, 27 vitórias em 34 jogos e 100 gols marcados contra apenas 22 tomados. Naquela primeira temporada de sucesso, Gullit já botou a braçadeira de capitão, virou a referência do time marcando 24 gols e virando artilheiro do PSV, além de vice artilheiro do campeonato holandês (apenas atrás de van Basten do Ajax que marcou 37 gols) e eleito melhor jogador do ano na Holanda. Em 1986-87 o PSV sofreu uma grande perda: o próprio Gullit que mal tinha chego e já era idolatrado pela torcida, anunciou sua saída para o Milan (transferência recorde na época de 6 milhões de libras). A sua saída esteve relacionada a um desentendimento dele com o técnico Hans Kraay em março de 1987. Kraay foi demitido naquele mesmo ano e o interino ganhou a posição de treinador. Só que sabe quem era o tal “interino”? Ninguém menos que Guss Hiddink, que era assistente desde 1984 e já era muito elogiado por sua inteligência tática. Guss, que não era bobo nem nada, pegou a grana na venda de Gullit e tratou de comprar três ótimos jogadores: Gillhaus, Wim Kieft e Soren Lerby. O PSV foi bicampeão holandês nessa temporada e não só graças a Guss, mas também ao incrível zagueiro Ronald Koeman, que veio do Ajax e as vezes era mais atacante que defensor. De novo o Ajax foi vice-campeão e a essa altura eles já estavam mordidos de raiva do PSV. CONTINUA… #esquadroesinvenciveis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s