Marseille 1988-1993 Parte II

CONTINUAÇÃO….O jogo contra o Estrela Vermelha foi muito difícil e acabou indo para as cobranças de pênaltis. Amoros, que jogava na lateral direita, acabou desperdiçando sua cobrança e isso foi determinante para a vitória por 5 a 3 do time iugoslavo, que não errou 1 cobrança sequer. Em 90-91, foram tricampeões franceses de forma consecutiva, o que acabou servindo de consolação. Só que ao invés do time francês se desesperar, ser desmanchado e cair de produção, o oposto ocorreu. Em 91/92, conquistaram mais um título francês (o quarto em sequência), sendo esta a última temporada de Papin, que foi novamente artilheiro com 27 gols e acabou sendo vendido para o Milan, considerado na época maior rival do Marseille. Outros jogadores também foram embora, como Amoros e o zagueiro brazuka Mozer. No entanto, o excelente goleiro Barthez, o matador croata Boksic, o lateral Angloma, o armador alemão Völler e o impecável zagueiro Desailly, chegaram para se juntar ao grupo e fortaleceram mais ainda um elenco que já era muito forte. Em 92-93, a glória, prestígio e reconhecimento deste clube do litoral francês, chegaria em seu ápice. Passaram pelo Glentoran da Irlanda e do Dínamo Bucareste da Romênia nas duas primeiras fases. Na segunda fase, tinham em seu grupo os seguintes oponentes: Club Brugge, CSKA e Rangers. Acabaram em primeiro lugar e garantiram assim, uma segunda oportunidade de levar a Champions. Mas adivinhem só contra quem iria ser a final? É isso mesmo que vocês pensaram, contra o Milan. Não existem dúvidas que a final era justa, afinal estes eram de fato os dois melhores times da Europa naquele período. O Milan, só pensava em se vingar da eliminação que sofreram nas quarta de final, por conta dos franceses, na edição de 1991 e o Marseille, sentia que esta seria a última oportunidade de conseguir este tão importante título continental. O Milan vinha a campo com jogadores que dispensam comentários: Maldini, Baresi, Tassotti, Costacurta, Albertini, Rijkaard, Donadoni e Van Basten. O treinador deles era ninguém menos, que Fábio Capello. Na próxima parte, vamos contar como foi a partida da final e o pesadelo que estava para atingir o clube francês. #esquadroesinvenciveis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s