Marseille 1988-1993 Parte I

TIME: Olympique de Marseille
LOCAL: Marseille, França 🇫🇷
PERÍODO: 1988-1993
CONQUISTAS: 6 (1 Champions,
4 campeonatos franceses e 1 Copa da França).
.
.
TIME BASE:  Barthez, Amoros (Angloma), Boli, Desailly (Mozer) e Di Meco; Casoni (Eydelie), Sauzée e Deschamps; Völler (Cantona), Abedi Pelé (Papin) e Boksic. Técnico: Raymon Goethals
.
.
Quem leu aqui na minha página sobre o esquadrão invencível do Saint-Étiene, já aprendeu, que até hoje, eles são os maiores campeões franceses que existiram, mas também aprendeu que eles fracassaram em conquistar a Europa. Foram parados pelo Bayern de Munique. Apresento agora a todos vocês, o segundo clube com maior número de títulos, apenas um atrás do Saint: o Olympique de Marseille. São 9 conquistas no total, mas sabem o que mais chama a atenção neste clube? O fato de ele ser o único clube francês, isto mesmo que você leu, o único, a ter vencido a maior e mais importante competição de clubes da Europa, a Champions. Tudo começa em 1988, quando eles estavam enfrentando um enorme jejum: 16 anos desde a última conquista do francês. Graças a um excelente elenco tudo estava para mudar na temporada 88-89, quando conquistaram o título nacional e a Copa da França. Papin, principal atacante, foi artilheiro do nacional com 22 gols anotados e repetiu a dose em 89-90 (com 30 gols dessa vez), quando o Olympique foi campeão francês novamente. Em 1990, Boli e Abedi Pelé chegaram como novos reforços. Como já haviam conquistado 2 campeonatos franceses seguidos, o foco da temporada 90-91 agora era a Champions. Tudo começou bem e quando o clube parou para olhar, já estava nas quartas de final. O adversário era o Milan, de inúmeros craques (só lembrar da história da segunda vez que o Steaua Bucareste chegou na final da Champions, que contei na história do esquadrão invencível deles). Final feliz para os franceses e vaga assegurada na próxima fase, depois de empatarem em Milão e vencerem em Marseille. Na semi-final, despacharam os russos do Spartak Moscou e estavam agora, bem próximos do objetivo que haviam estabelecido. A final era contra o Estrela Vermelha da Iugoslávia, um time forte demais na época, mas deixa que eu conto na próxima parte..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s